Proteção on-line ao cliente

0
11
Com o objetivo de fornecer à sociedade mais um meio com a qual possam resolver seus problemas com as empresas, o Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, lançou o site Consumidor.gov. Disponível desde o dia 27 de junho, a plataforma permite que clientes possam reclamar sobre produtos e serviços das empresas cadastradas, a fim de que elas, dentro de um prazo de 10 dias, respondam à queixa e resolvam o problema como cliente de maneira direta.
Segundo Juliana Pereira, secretária Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça,  site é uma opção tecnológica inovadora, pois “é um ambiente em que nós pensamos e construímos para aproximar os clientes das empresas para a solução de casos individuais”. Dessa forma, o Consumidor.gov tem ainda a meta de diminuir as demandas de reclamações e processos feitas aos Procons estaduais e municipais, bem como de ações nos juizados, evitando, assim, que gastos excessivos sejam gerados, tanto para o consumidor e empresas quanto para o Estado. “É uma busca para reduzir conflitos. Hoje, o conflito está muito caro. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro fez uma pesquisa, algum tempo atrás, e uma ação no Juizado Especial tem custo fixo para o Poder Judiciário de R$1400, aí você imagina o seguinte: este preço não conta os vocativos, fora todo o custo que envolve para empresa e para o consumidor, sendo que, as vezes, a demanda da reclamação custa R$ 500. É uma conta que não dá para fechar nunca. Então, é a previsão de cuidar para que as relações entre empresas e consumidores sejam cada dia mais harmônicas, de diálogos de construção”, afirma.
A plataforma ainda se encontra em fase de teste e, atualmente, está disponível para 15 estados, além do Distrito Federal (Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rondônia, Rio de Janeiro e São Paulo). A previsão é que até o dia 1º de setembro ele esteja disponível para todo o país, bem como já esteja na sua versão definitiva.
O Consumidor.gov foi construído com um meio de trabalho em conjunto entre o Senacon, os Procons estaduais e municiais, e contou com o apoio das empresas e da sociedade, a fim de que seja possível a elaboração e implementação de políticas públicas em prol da defesa do direito do consumidor. Assim, as empresas podem aderir ao portal voluntariamente, justamente, com o propósito para que elas tenham a disposição de cumprir com o acordo e manutenção da boa relação. Ao todo, o site já possui 127 empresas credenciadas e 9,5 mil reclamações feitas.  É esperado, ainda, que dentro de um mês os usuários poderão ter acesso ao comparativo das empresas – no momento, está disponível a quantidade que cada marca possui de reclamações, o índice de resolução e a satisfação do consumidor.
Para entender um pouco mais sobre o Consumidor.gov, o ClienteSA está realizando um especial sobre o tema, cujo objetivo é justamente explicar sobre o site, seu funcionamento e como será a relação entre empresa e cliente a partir de agora. Acompanhe as matérias e veja o que esperam dessa nova plataforma.