Provedor permite controle de custo da Internet

0
11

Com uma característica diferenciada o Zil, o mais novo provedor de acesso discado à Internet, chega ao mercado brasileiro com um modelo de negócios completamente diferente do que existe até hoje. A empresa criou vários pacotes de conexão “pré-pagos”, algo semelhante ao implementado com amplo sucesso pelas operadoras de telefonia celular. O sistema funciona de forma simples. O usuário paga um valor fixo por uma quantidade de horas de acesso à Web “sob medida” – incluso o valor dos minutos, provedor e superserviços.
O serviço, que está há quatro meses no ar em projeto piloto e já possui clientes em mais de 3 mil cidades, foi criado pela empresa Local Group, que vai investir cerca de R$ 19 milhões nos próximos dois anos. As novidades não param por aí. Para atingir as 5,4 mil cidades de todo o Brasil(os provedores nacionais chegam em média a 12% das cidades do Brasil apenas), o Zil fechou uma parceria com a Intelig, uma das gigantes das telecomunicações do país, que fornece uma linha 0600 (similar ao 0800 da Embratel), fundamental para a prestação do serviço em qualquer cidade. Vale lembrar que a Intelig fornece, há 4 meses, acesso em todo Brasil e busca, com essa iniciativa, ser um dos líderes da Internet Brasileira
A vantagem, com isso, é que apesar de ser uma conexão discada, o usuário não paga os pulsos pelo consumo da linha. “Isso permite que todos os clientes se conectem através de uma moderna rede de dados digital da Intelig Telecom. “A navegação é discada a 56 kbps. É como se ligasse a uma central de atendimento, ou seja, com custo zero”, explica Sebastião Miranda, diretor do ZIL.

O executivo explica que como o Zil é um provedor 0800, as pessoas escolhem o número de horas de acordo com seu perfil e conseguem ter controle absoluto do custo da Internet no valor da conta telefônica. “No horário comercial, por exemplo, cinco horas de acesso por um provedor normal pode custar até R$ 58,00 entre provedor e pulsos no mês. No Zil, esse mesmo tempo de navegação custa R$ 29,90”, completa Miranda, lembrando que no modelo usual, as operadoras locais misturam os pulsos de voz com o acesso e não detalham isso na fatura. “Isso gera muitas controvérsias e praticamente impossibilitam o usuário de controlar os gastos com telefone”, completa.

Além da redução de custo, Miranda ressalta ainda duas outras vantagens importantes do serviço Zil: mobilidade e comodidade. “Você faz uma viagem de negócios e se hospeda na casa de algum conhecido. Pode se conectar à vontade dentro das horas contratadas, sem o constrangimento de estar gastando os pulsos de um parente ou amigo, e o melhor, de qualquer lugar do país com o mesmo custo”, completa.
Usuários do Interior são beneficiados
Um dos objetivos do novo provedor é atingir um público que hoje não consegue utilizar a Internet ou que o faz com provedores de outras localidades, o que significa alto custo de ligação DDD. “Hoje existem mais de 4,5 mil municípios do país que não possuem um provedor de acesso. São mais de 50 milhões de pessoas que querem acessar a Web, mas que não o fazem por falta de um provedor.

A redução de custo de acesso para usuários com essas dificuldades é ainda maior, pois ficam presos a serviços de outras cidades para a conexão. Neste caso, é preciso fazer ligações DDD, onde o custo de uma chamada de cinco horas de conexão pode chegar a quantias elevadíssimas. “Com o Zil, essas pessoas passam a ter uma conexão de qualidade, fogem das tarifas DDD e passam a ter o controle dos custos de telefonia no final do mês. Há uma redução de despesa de até 90%, dependendo do local onde estiver o usuário”, prevê.

Para o consumidor ter uma idéia concreta dessa vantagem, o executivo cita o exemplo de Feira de Santana, na Bahia. “Supondo que não houvesse nenhum provedor local, o usuário que utilizasse um outro serviço localizado fora da cidade, pagaria R$ 129 por cinco horas de conexão. Já com o Zil, o valor seria de R$ 29,90” observa.
Provedor Gratuito acaba de ir ao ar
Além do Zil, o Local Group também acaba de lançar o Gratola, provedor gratuito de acesso discado á Internet. Além de não ter que pagar mensalidade, o provedor está disponível em 150 cidades do país e chega com algumas vantagens em relação ao que já existe no mercado. O usuário cadastrado contará com 50MB de espaço para e-mail, além de 50MB para blog, agenda, álbum e HD Virtual.

O Gratola também vai utilizar a rede de dados digital da Intelig. O executivo garante uma conexão de alta velocidade e qualidade. “Não é porque é grátis que precisa ser ruim. A velocidade padrão para quem utilizar o serviço será de 56 Kbps, o que é considerado alto se comparado com os demais provedores gratuitos”, observa. Segundo ele, a expectativa do Gratola é atingir mais de 2 milhões de usuários até o final do ano.