Qual o motivo da inadimplência?

0
1



O aumento do número de postos de trabalho e o empenho para a melhoria da economia brasileira são fatores que têm contribuído para diminuir a participação do desemprego como um dos principais vilões da inadimplência. Pesquisa Perfil do Inadimplente realizada pela Telecheque, empresa de concessão de crédito no varejo, apontou queda de 29% do número de justificativas relacionadas à falta do emprego comparando-se os primeiros seis meses deste ano (7%) com igual período do ano passado (10%). O atraso salarial como motivo da inadimplência também apresentou queda no estudo. Enquanto em 2006 ele foi a razão da inadimplência para 12% dos entrevistados, em 2007 acumulou 5% das respostas, resultando em um declínio desta prática em 57%.


Embora o consumidor esteja mais atento às facilidades de compras no varejo e ao controle do seu orçamento mensal, o descontrole financeiro continua sendo o grande vilão da inadimplência, correspondendo a 54% do universo de consumidores inadimplentes entrevistados no primeiro semestre de 2007. Este indicador significou um aumento de 47% em comparação com igual período do ano passado, quando esse problema atingiu 37% dos consumidores com restrições nos cadastros de proteção de crédito.


“A inexistência de uma disciplina sobre educação financeira nas escolas faz com que o brasileiro não tenha o hábito de planejar seus gastos a médio e longo prazo, resultando, muitas vezes, na inadimplência. O descontrole financeiro, que atormenta muitos consumidores, é resultado desta falta de conhecimento e aptidão para lidar com as contas e os imprevistos tão comuns no dia-a-dia”, observa José Antônio Praxedes Neto, vice-presidente da Telecheque.


Perfil do inadimplente – Do total dos consumidores inadimplentes ouvidos pela Telecheque no primeiro semestre deste ano 51% são homens. O número de endividados do sexo masculino subiu dois pontos percentuais em relação ao primeiro semestre de 2006 (49%). A pesquisa verificou também que os casados lideraram o ranking dos consumidores com restrições ao crédito. Mesmo com um declínio de 2% na comparação com o mesmo período do ano passado (46%), eles apareceram na primeira posição e representaram 45% dos inadimplentes nos primeiros seis meses de 2007. Já o percentual de inadimplentes solteiros cresceu 14%, comparando-se o primeiro semestre de 2006 (37%) com igual período deste ano (42%).


No universo da pesquisa, a faixa etária de 21 a 30 anos respondeu por 39% dos consumidores com ´nome sujo´ em 2007 e 35% em 2006, com aumento de 10%. Com um crescimento de 29%, os inadimplentes acima dos 51 anos apresentaram a maior alta na comparação entre os primeiros semestres de 2006 (7%) e 2007 (9%).


As compras com valores entre R$ 100 e R$ 199 foram as vilãs da inadimplência. Segundo o estudo, 28% dos consumidores consultados pela Telecheque ficaram inadimplentes realizando compras nesta faixa de valor, que registrou alta de 18% em comparação com o mesmo período do ano passado (24%). Outro faixa de valor com maior incidência de compras que geraram inadimplência foi a de R$ 200 a R$ 399. No primeiro semestre de 2006, esta faixa respondeu por 17% da inadimplência, já em 2007 por 20%, uma elevação de 23%.