Quanto menos sistemas, melhor

0
1



Autor: Juliano Bassetto

 

Em projetos de implantação de sistemas hoje em dia, um dos temas recorrentes é a centralização. É comum encontrarmos empresas que iniciam projetos e, logo no começo deles, descobrem que a centralização das informações em um número menor de sistemas traz muitos benefícios à organização. O que muitas vezes é difícil de encontrar é um projeto de sistemas que comece única e exclusivamente com esse motivo. Os projetos tendem a englobar novas áreas, iniciativas, clientes e fornecedores, enquanto que a unificação acaba presente como um dos bons efeitos colaterais.

 

Olhando pelos projetos em volta, especialmente os de sistemas de gestão (como ERP e CRM), isto é bem fácil de notar. Dificilmente há investimento de um bom montante em algo que gere “apenas” uma centralização de sistemas. O processo de centralização gera inúmeros benefícios, alguns bem fáceis de perceber.

 

Centralização das informações: em sistemas de relacionamento com o cliente (CRM) os benefícios são claros, ao manter todas as informações de um determinado cliente em um lugar só. Todos, se autorizados, têm acesso a todas as informações de um consumidor. É a famosa visão 360º, onde o cliente vê e é visto por todos os departamentos ao mesmo tempo.

 

Menor custo de propriedade e gerenciamento: em vez de ter que gerenciar inúmeros sistemas diferentes, invariavelmente caros, é melhor concentrar os esforços em alguns poucos. E isto envolve treinamento, manutenção, licenças, backup e até ecologia – afinal, mais sistemas exigirão mais e mais servidores, algo difícil de justificar no momento em que a virtualização é uma das músicas mais tocadas.

 

Desempenho: quanto mais sistemas, mais preocupante se torna a comunicação entre eles. São muito comuns integrações de dados que deveriam ser diárias tornarem-se o calcanhar de Aquiles de um projeto, perdurando por dias e dias. O exemplo do CRM vale aqui, pois se eu puder gerenciar meu consumidor em um sistema só, a preocupação com a comunicação deixa de existir.

 

Quando se pensa na qualidade, usabilidade e sucesso de um projeto de implantação de sistemas, é fundamental pensar em centralizar um pouco as coisas. Nosso cliente não estará preocupado com a quantidade de sistemas com os quais teremos que lidar, e sim com a qualidade do serviço que estamos dispostos a prestar.

 

Juliano Bassetto é gerente de projetos da MSBS Tridea para Microsoft CRM.