Quem é o jovem consumidor brasileiro?

0
4
Dos jovens brasileiros, 34% têm como fonte de renda a ajuda financeira familiar, 27% estão em um estágio remunerado, 22% já possuem carteira assinada e 09% trabalham informalmente. Além disso, 63% compram pelo menos uma vez por mês e 30% de uma a três vezes por mês. Esses são dados de uma pesquisa realizada pela B2, empresa especializada em conectar marcas ao público jovem. Feito em todo país, o estudo ouviu quatro mil jovens, com idades entre 18 e 29 anos, de todas as regiões e focou em um único assunto, consumo. Foi possível constatar, ainda, que esse grupo corresponde a um poder de compra de mais de R$32 bilhões ao ano. O Radar Jovem 2015 apresenta informações relevantes e diferenciadas de forma que as empresas se comuniquem com esse consumidor. “Hoje, os jovens são bombardeados de informações e sugestões de consumo. Para dialogar com esse público, é preciso ser assertivo”, explica Ricardo Buckup, sócio-fundador da B2
Onde e como compram?
Os entrevistados afirmaram que o local mais preferido para realizarem suas compras é o shopping center, com 35%. Em seguida aparecem: liquidação e promoção (32%); loja de departamento (25%); e-commerce (21%); loja de rua (19%); comércio informal (11%); redes sociais (0,6%) e compras no exterior (0,3%). Da mesma forma que o cartão de débito foi a forma mais utilizada para pagamento, citado por 51%. Dinheiro é a segunda opção, com 47%. Depois surge o cartão de crédito: a vista (18%) e parcelado (16%).
Perfil
O estudo conseguiu, ainda, separar os jovens ouvidos em quatro grupos de perfis de compra. O grupo que assume que “antes de fechar uma compra, gosto de negociar bastante e pesquiso para saber os melhores preços e condições de produto” é o que aparece com maior porcentagem, 39%. Em seguida, estão aqueles que “quando faço compras gosto de ver um pouco de tudo. Não me canso de conhecer novas lojas e produtos”, com 25%. Já 20% assumem que “fazer compras quase uma tarefa. Faço apenas quando preciso e nunca fujo muito do planejado”. E, por último, 16% dizem que o que mais valorizam em uma compra é a “experiência: atendimento, ambiente, etc. Tudo isso conta bastante na hora da compra.”
Prioridade
Metade dos jovens afirmaram o ensino é o principal item a se adquirir dívidas. Já 37% consideram que seja com viagem, 36% com remédios, 34% com despesas domésticas e 31% com supermercados. Quando questionados quais são as suas prioridades em compras de impulso, vestuários e restaurantes são os mais citados, com 56% e 39%, respectivamente. Seguido por beleza, 30%, supermercado, 27%, eletrônico, 18%, e viagem, 2%.
Por outro lado, se forem escolher itens a serem cortados para redução de gastos, roupas e restaurantes também estão entre os primeiros, com 64% e 60%. Logo atrás de balada, que teve 66%. No fim da lista estão viagem, com 52%, e beleza, 48%. Já com relação a compras planejadas, 69% escolheram viagem; 59%, imóvel; 57, MBA ou especialização; 48%, carro; e 33%, tratamento de saúde.