Relação com investidores na web precisa melhorar

0
0



As 26 empresas que abriram capital em 2006 apresentam deficiências importantes na usabilidade das páginas de Relações com Investidores de seus websites. É o que conclui o estudo “Site Fácil: Melhores práticas para Relações com Investidores – Volume 2”, recém-finalizado pelo Ibope Inteligência. Os sites foram submetidos a 27 ítens de análise, englobando o primeiro contato, links, design, ferramentas específicas para Relações com Investidores e estruturação do conteúdo.


Entre os principais problemas encontrados, destaca-se o excesso de banners e animações nas páginas, o que torna os sites pesados e ocupa espaços que poderiam ser utilizados para disponibilizar informações e serviços relevantes, na opinião de Ricardo Lopes, analista responsável pelo estudo. “Os sites também apresentam muitas semelhanças entre si, inclusive nos equívocos, o que leva a crer que as empresas estão adotando más soluções como padrão pelo simples fato de que os concorrentes fazem o mesmo”, aponta Lopes.


O primeiro volume desse estudo, realizado em 2005, analisou a usabilidade dos sites das 20 maiores empresas em volume negociado na Bovespa. Naquela ocasião, o Bradesco foi o mais bem avaliado, com 84% de conformidade com as recomendações. Já nesse segundo volume, as empresas que alcançaram os melhores resultados ficaram entre 69% e 72%. Copasa, Brasil Ecodiesel, Lopes, Abyara, CSU, Medial, Totvs, Vivax, American Banknote, M.Dias Branco e Equatorial apresentam maior conformidade com os princípios recomendados.


O Ibope Inteligência já realizou diversos estudos de usabilidade com usuários de sites financeiros e destaca a importância crescente da web para este segmento. “O número de investidores com ofertas colocadas no Home Broker já ultrapassa 113 mil, sendo que em janeiro eram pouco mais de 88 mil e, em participação no volume, as operações on-line já representam 8,16% do volume total da Bovespa”, esclarece o analista. De acordo com dados do Ibope/NetRatings, que mede a audiência da internet no Brasil e em outros países, 7,2 milhões de internautas residenciais brasileiros usam a rede para informações e serviços relacionados a finanças. Em alguns sites, as áreas de investimento já respondem por fatias importantes da audiência, o que aumenta a necessidade de ter soluções adequadas de usabilidade.