Robôs fazem touchless delivery no Rio de Janeiro

Solução será implantada em condomínios durante período de confinamento da população

0
2

A crise gerada pelo coronavírus mudou a dinâmica socioeconômica do planeta. Tanto empresas como indivíduos foram obrigados a se adaptar a uma nova realidade. Com isso, alguns serviços, por mais seguros que pareçam, estão sendo revistos e melhorados, como é o caso do delivery. Nesse cenário, a DHL Supply Chain e a Unike Technologies se juntaram a MyView para desenvolverem um projeto baseado em inteligência artificial. O MyView D4 Touchless Delivery realizará entregas por veículo terrestre autônomo em condomínios, sem contato humano, um conceito global batizado touchless delivery (entrega sem contato).

Os veículos remotos serão embarcados com a tecnologia Unike, de reconhecimento facial, para que a entrega seja feita de forma segura e sem contato humano. O transporte do produto, adquirido via internet, ocorre da forma usual (moto, bike, carro etc.) da loja em que foi expedido até a portaria do condomínio. A entrega do produto ao consumidor é realizada por um robô autônomo, movido por geolocalização e conduzido por inteligência artificial, entre a portaria do condomínio e a casa do cliente. “Desta forma, garantimos que não haja contato do comprador do produto com o entregador ou com o funcionário da portaria”, explica Thiago Calvet, CEO da MyView.

“Embarcar uma tecnologia de identificação touchless nesse projeto trará além do benefício da segurança, fundamental em entregas específicas como de medicamentos, uma melhor experiência para o receptor que não precisará se preocupar com senhas, autenticações etc.”, acrescentou André Barretto, CEO da Unike Technologies.

O projeto foi lançado, no início de junho, em dois condomínios da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. As entregas piloto serão realizadas durante o período de isolamento social devido à pandemia do Covid-19, com o objetivo de oferecer serviço regular de entregas automatizadas touchless ao mercado de last mile delivery em algumas das principais cidades da América Latina, em um futuro próximo.

“Para trazer novas soluções, temos nos aproximado de startups e fornecedores inovadores, e este projeto demonstrou grande importância e aplicabilidade para o momento que estamos vivendo. Auxiliamos na formatação geral do projeto e, principalmente, prestamos consultoria logística acerca dos principais desafios do last mile no Brasil e na América Latina. Vemos um grande potencial para a distribuição de e-commerce de forma geral que deve crescer ainda mais pela necessidade do distanciamento social. Além da ausência do contato humano, o reconhecimento facial é outro fator chave deste projeto, pois propicia uma maior segurança da carga”, afirma Eduardo Nogueira, vice-presidente e head de inovação da DHL Supply Chain Brasil.