Segmento de manufatura aponta investimentos em TI

0
2
O Instituto Sem Fronteiras (ISF) finalizou uma série de estudos junto aos CIOs e principais executivos da área de TI, indicando quais serão as tendências de investimentos para 2007. No segmento de manufatura, o instituto entrevistou 220 empresas, em sua grande maioria de grande porte. E o principal dado abservado é que 65% dos entrevistados mencionaram como principal projeto este ano algo relacionado a ERP.
De acordo com o diretor geral do ISF, Luiz Matzenbacher, o motivo é que muitas empresas manufatureiras estão fazendo redesenho de processos e re-implantando o ERP, padronizando todos os sistemas de back office, adotando plataformas inteligentes para colaboração envolvendo controle total da cadeia de suprimentos e integração do sistema de gestão com a força de vendas. “O segmento de manufatura foi aquele que pior avaliou o seu ERP. Cerca de 45% dos entrevistados mencionaram que estão razoavelmente satisfeitos com os fornecedores e 16% estão insatisfeitos. Apenas 39% estão plenamente satisfeitos”, observa Ivair Rodrigues, diretor de pesquisas do ISF.
A pesquisa revelou ainda que apenas duas empresas mencionaram a adoção da arquitetura SOA como grande prioridade do segmento, mas 10% dos entrevistados pretendem começar a adoção da arquitetura este ano. Por outro lado, metade dos entrevistados mencionou ainda estar estudando a adoção. Com relação a BI, a tecnologia foi a segunda com maior menção onde haverá contratação de serviços de consultoria “Haverá investimentos principalmente na área de BPM e módulos para extração de relatórios. Cerca de 9% dos entrevistados afirmaram que farão os primeiros investimentos iniciais em 2007”, revela Rodrigues.
Telecom – No estudo sobre tendências de investimentos em telecomunicações em 2007, realizado pelo ISF, a solução de VoIP apareceu como o principal projeto de telecom, tanto que 45% dos entrevistados afirmaram que farão investimentos este ano. O principal motivo apontado foi a necessidade de redução de custos de comunicação com as unidades localizadas em diferentes regiões do país.
“Verificamos também que o valor médio investido na solução tem subido e há uma grande preocupação com segurança, o que abre espaço para os fornecedores de serviços de gestão e monitoramento, além de detecção de intrusão e firewall”, afirma o diretor de pesquisas do ISF. Além disto, a grande mudança do segmento é que 25% dos entrevistados pretendem terceirizar o datacenter este ano, gerando oportunidades para todos os subsegmentos manufatureiros.