Sete dicas para o Dia das Crianças

0
1



Autor: André Ortiz


Sabemos que no varejo, datas comemorativas são sempre sinônimas de expectativa para o aumento de vendas. Para o Dia das Crianças não é diferente: Dicas de presentes, movimento intenso nos dias que antecedem a data e lojas cheias de pais acompanhados com os filhos, em busca do presente tão sonhado. Nessa data, os profissionais de vendas e atendimento precisam encantar e criar benefícios e cenários para as crianças e para os pais, que são os tomadores da decisão e, com isso, vender mais e manter a chama “acesa” para o Natal – a data que mais vende no ano.


O Dia das Crianças é uma data especial que pode, também, ser aproveitada para criar estratégias de vendas e novas oportunidades de indicações. Assim como o Dia das Crianças, toda data comemorativa ou feriado é uma deixa para fidelizar os clientes para a próxima data especial. Já que estamos próximo das festividades de final de ano, por que não pensar e criar estratégias para garantir as vendas de Natal? Mas, para que esse objetivo seja alcançado, o trabalho dos varejistas precisa ser constantemente intenso, pois assim, sempre criarão diferenciais no atendimento – fundamental em um mercado cada dia mais competitivo.


A criação de um banco de dados é uma forma de trabalho que deve ser adotada pelos varejistas. Agora, você deve estar pensando: Por que o banco de dados é tão importante? Cito um exemplo: O banco de dados pode ser fundamental na perspectiva de aproveitar o Dia das Crianças para, além de aumentar as vendas, fidelizar os clientes para o Natal, por meio de estratégias de atendimento que ficam gravadas na mente do cliente. Mas, para que as ações sejam eficientes, o banco de dados precisa ser organizado, com nome, telefone, e-mail e endereço, assim, facilita o pós-vendas.


Alguns comerciantes, empresários e lojistas ainda pensam que seus clientes já são fiéis, mas isso é um engano. Os varejistas precisam entender que, atrair os clientes e mantê-los por perto é um trabalho contínuo e necessário para satisfazer a necessidade do cliente, ou seja, encantá-lo a cada atendimento.


As redes sociais também podem ser um diferencial. Elas estão inseridas no mercado com mais força a cada dia e, você vendedor, pode estar à frente de muitos profissionais quando aproveitar as informações e oportunidades que as redes sociais oferecem para aumentar suas vendas.


Portanto, deixar o nome do profissional “aceso” na mente do cliente e atendê-lo de acordo com a sua necessidade já é uma obrigação no mundo das vendas, pois o profissional sempre será lembrado por aquilo que surpreenda. Pensando nesse cenário, deixo sete estratégias que podem ajudá-los.


1. Aja como o cliente principal – as crianças: Encante também os pais, mas colocando-se exatamente da maneira como os filhos querem ser tratados. É imprescindível que o atendimento seja psicológico e não focado somente no Show Room.


2. Peça indicações: Essa estratégia é usada com frequência em instituições bancárias, por exemplo. Quando um cliente indica um possível cliente, ambos lucram, pois a instituição aumenta um cliente na sua carteira e quem indicou pode ganhar descontos.


3. Faça um pós-vendas eficiente: Surpreenda o cliente; ligue dois dias após a venda e pergunte como está o produto ou serviço adquirido. Entendeu o porquê da importância do banco de dados?


4. Treine a sua equipe para a venda adicional: Os bons empresários e vendedores devem saber que, no Dia das Crianças, os tomadores da decisão são os pais, mas os influenciadores da compra são os filhos. A equipe pode ser treinada para saber ler a linguagem não verbal durante o atendimento. Em alguns casos, a mãe pode ser a principal tomadora da decisão e o pai o pagador. Uma vez o vendedor entender as linguagens não verbais, certamente, conseguirá sugerir novas compras. Para tanto, o vendedor deve ser astuto, consultivo, flexível e resiliente.


5. Presenteie seus clientes com brindes: Canetas, chaveiros, objetos de decoração, entre outros. Essas ações ficam gravadas na mente do cliente, e você, sempre será lembrado.


6. Trabalhe com as principais redes sociais: Elas são excelentes formas de Buzz Marketing. Grave vídeos e publique na Internet. Hoje, existem maneiras gratuitas, práticas e, também, com valores acessíveis.


7. Siga seu feeling: Atenda com o coração e sorria sempre. Sorrir é óbvio, mas infelizmente, o óbvio é ululante!

André Ortiz é Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC), especialista em Marketing pela Fundação Getulio Vargas (FGV), com MBA em Gestão Comercial, e certificação em Programação Neurolonguística (PNL).