Setor público aposta nas compras eletrônicas

0
2


O setor público brasileiro movimentou no ano de 2005 R$ 4 bilhões em compras públicas realizadas integralmente via Internet, segundo apuração do projeto e-Licitações, índice mensal desenvolvido por FF Pesquisa & Consultoria/e-stratégia pública, divulgado em parceria com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net).

O volume de transações cresceu cerca de 215% em relação ao ano anterior, cuja movimentação foi de R$ 1,27 bilhões. As compras pela Internet, em 2005, representaram 3,5% do valor total comprado em bens e serviços pelos governos federal, estaduais e municipais. Em 2004 o índice e-Licitações apurou que o valor de compras públicas na Internet representou apenas 1,2% do montante total de produtos e serviços.

Para Galileu Vieira, diretor de Tecnologia de FF Pesquisa & Consultoria/e-stratégia pública, “o volume negociado em 2005 foi maior que o volume negociado desde o surgimento das licitações eletrônicas (em 2000 com a BEC), mostrando um amadurecimento da tecnologia e uma maior conscientização dos gestores quanto a eficiência dos gastos públicos. E, conforme pudemos ver, os últimos meses indicaram que cerca de 5% das compras públicas estão sendo feitas via Internet e seguindo essa tendência com certeza terminaremos o ano de 2006 com este indicador em 10%”.

Segundo Cid Torquato, diretor executivo da Camara-e.net, “o ano de 2005 foi muito importante, pois o governo impulsionou as compras eletrônicas on-line por meio de medidas como o decreto 5.450/05, que tornou a modalidade do pregão obrigatória nas compras de bens e serviços comuns, com preferência pelo pregão eletrônico. Sentimos uma boa vontade do setor público em tornar as operações on-line por causa do baixo custo do pregão eletrônico e da transparência no processo”.