Sobreviva à economia em 2016

0
9
Autor: Daniel Mourão
Em questão de segundos, as pessoas tomam decisão de comprar e de forma bem intuitiva. Quando elas se deparam com alguma dúvida, ou desejo de comprar algum produto ou serviço, usam os mecanismos tecnológicos de buscas para encontrar a solução mais viável.  Por outro lado, vender todos querem, mas poucos sabem como. Principalmente, em uma época em que a maioria dos executivos se encontra paralisada, com medo do monstro da crise econômica. 
Nesse momento, existe quem não sabe o que fazer, quem não faz nada ou quem se apoia na traiçoeira “sorte” para alavancar as suas vendas. No mundo dos negócios, não há espaço para o elemento sorte. Há boas estratégias de comunicação que são praticamente certeza de um ótimo retorno. Hoje, pode-se contar com técnicas, ferramentas, estratégias inteligentes e eficazes que, quando conjugadas, permitem resultados surpreendentes. É possível usar a tecnologia para fechar vendas, utilizando, por exemplo, o remarketing. Obtendo frequência de comunicação no hábito de navegação daquele potencial cliente que está “louco” para adquirir seu produto ou serviço.
Saber onde está o seu público-alvo, potenciais compradores, com maior propensão ao consumo de seus produtos e serviços faz toda a diferença sobre o resultado almejado. Outras estratégias bem sucedidas são a união entre geomarketing, big data, acesso a bases de dados com perfil de consumo. Todas possibilitam gerar fluxo de potenciais compradores, aliados a um correto posicionamento de discurso e preparação de acervos que aceleram as conversões. Itens como apresentações de alto desempenho, equipe treinada e apta a executar esses discursos são alguns exemplos que mais do que tendência, chegaram para revolucionar o mercado.
Existe um caminho muito satisfatório para seus negócios trilharem. Investimento de tempo, energia e, principalmente, disposição para mudar. Dias melhores virão e a crise econômica será uma oportunidade de crescimento e não um infortúnio. A tecnologia permite cruzar informações de diferentes origens, formando uma base de dados inteligente. A correta leitura dessa base possibilita criar campanhas e ofertas direcionadas para um público disposto a comprar suas soluções. Ao disparar um e-mail relevante para essa base com suas ofertas, você consegue visualizar quais são as pessoas que interagiram – clicaram em sua mensagem. E é algo inteligente focar seus esforços comerciais nessas pessoas. 
 
Daniel Mourão é CEO da BBRO, Grupo de Inteligência em Comunicação Integrada