Softtek investe em offshore

0
2

A Softtek do Brasil traçou para o ano de 2005 o objetivo estratégico de ampliar a oferta de serviços em TI em regime offshore em 65% no mercado brasileiro, estendendo também sua atuação para os mercados latino, norte-americano e europeu.
Francisco Lara, presidente da Softtek para América do Sul e Caribe, acredita no crescimento rápido desta modalidade de serviços no país, ainda um pouco resistente em terceirizar o desenvolvimento de software. “As empresas que não aderirem a este modelo nos próximos 2 anos perderão competitividade”, afirma o executivo.
Segundo Lara, o Brasil tem potencial para ser um grande exportador de serviços offshore, possuindo porém dois grandes concorrentes – China e Índia. Lara acredita que esta indústria, geradora de divisas, pode deslanchar com o envolvimento de universidades, iniciativas governamentais e com a criação de linhas de crédito. “Em cinco anos esperamos tornar esta modalidade de serviços a principal fonte de faturamento da Softtek no Brasil.” Em 2004, a divisão Offshore, no Brasil, respondeu por 22% da receita, que totalizou US$ 20,2 milhões.
Segundo estudo da International Data Corporation (IDC) foram realizados gastos mundiais da ordem de US$ 712 bilhões em terceirização de serviços de software em 2001. Em 2006, segundo o instituto de pesquisa, esse mercado deve movimentar cerca de US$ 1,2 trilhão, crescimento de 168% em 5 anos.