Spaipa/Coca-Cola adota solução wireless da MoWA

0
3

A Spaipa – franqueado Coca-Cola que atende o Paraná e a região oeste do estado de São Paulo – decidiu, no início de 2003, acrescentar novos recursos e promover um upgrade na solução adotada. “Tínhamos um modelo que estava esgotado sob o ponto de vista tecnológico e de requerimento de negócios, já que era simplesmente um extrator de pedidos e, em alguns casos, representava até um entrave às negociações com nossos clientes”, explica o gerente da Divisão de TI da companhia, Cláudio Fontes.

Como forma de resolver esse problema, a empresa, representada pelas áreas comercial, de logística e de TI, definiu uma nova estratégia, que subverte a visão simplista de vendas para uma nova ótica – a da gestão do relacionamento com o cliente; e, nesse caso, o funcionário de campo ganha um novo status, o de consultor de negócios.

A empreitada começou pelo desenvolvimento de um novo aplicativo de negócios, com conceitos de CRM (Customer Relationship Management), que permite, aos vendedores da Coca-Cola/Spaipa, conhecer melhor supermercados, lojas de conveniência e outros estabelecimentos comerciais e, dessa forma, oferecer um mix de produtos mais adequado. “Nós produzimos e distribuímos bebidas da marca Coca-Cola, como o Kuat e a Fanta; distribuímos também a cerveja Kaiser; e envasamos e distribuímos a água Vittalev. Ou seja, são vários produtos que, levando em consideração as variações de embalagem, chegam a cerca de 180 itens”, explica o executivo.

Enquanto o aplicativo responde pelas regras de negócios, a ferramenta de sincronismo MoWASync, desenvolvida pela empresa brasileira Mowa (Mobile Wireless Applications), ficou responsável pela integração dos handhelds usados pelos vendedores – equipamentos Symbol PPT 2800 – com o sistema operacional Pocket PC 2002, da Microsoft, e o ERP (Enterprise Resource Planning) da SAP que, por sua vez, funciona integrado a um sistema de faturamento proprietário chamado Bottler. “O MoWASync é um produto muito estável. Foi necessário fazermos apenas algumas pequenas customizações para o nosso projeto”, conta Fontes.

É por meio da conexão com telefones móveis dotados de internet (CDMA/RTT 1 x ou GSM/GPRS) que as informações são transmitidas dos PDAs para o servidor da companhia, localizado no CPD da capital paranaense. Por causa da extensão da área onde a Coca-Cola/Spaipa atua – 377 mil km2, o equivalente a um país do tamanho da Alemanha – a empresa optou pelas redes de dados das operadoras Vivo e TIM, consideradas as mais eficientes no que diz respeito à cobertura.”Os dados podem ser enviados no momento da coleta ou, dependendo do tipo de negócio da empresa usuária, uma única vez ao final do dia”, explica o diretor de tecnologia da MoWA, João Moretti.

O MoWASync funciona em arquitetura cliente/servidor e é equipado com um mecanismo de tabelas temporárias que confere inteligência ao processo de transmissão das informações. “Isso quer dizer que, se por algum motivo a conexão for interrompida durante o envio de dados, na hora em que ela for retomada a transmissão seguirá do ponto em que parou”, completa Moretti.

No caso da Coca-Cola/Spaipa, os dados são enviados em intervalos de cerca de três horas – transferidos em, no máximo, cinco segundos – por cada um dos vendedores. O modelo tecnológico adotado também permite o caminho inverso, ou seja, informações importantes de suporte à operação comercial – como o itinerário de visitas, atualização de tabelas de preços e ações promocionais – são enviadas da empresa para os handhelds dos vendedores. “A intenção é que os profissionais aproveitem a maior parte do tempo na atividade de vendas e não em trabalhos operacionais ou administrativos. E é isso que temos constatado”, diz Cláudio Fontes.