Telefónica traz ao Brasil nova área do negócio

0
2
As funcionalidades presente no varejo virtual permitem, hoje, que as empresas tenham uma maior e melhor interação com os seus clientes. Porém, este já não é um privilégio exclusivo das plataformas on-line. De olho na crescente demanda por mudanças na experiência de compra no ambiente físico, o grupo Telefónica trouxe ao Brasil a onthespot, seu braço de negócios especializado em ativação digital de pontos de venda, com soluções inspiradas no mundo virtual. 
Entre as tecnologias que a companhia traz ao país inclui: vitrines interativas, que permitem o cliente interagir com conteúdo exposto pelo varejista; contadores de pessoas, que geram relatórios de fluxo de clientes nas lojas e suas diferentes seções; telas com catálogos virtuais para consulta de produtos, que geram estatísticas de interesse dos consumidores; serviços de wifi ativado via rede social para clientes; totens de pesquisa de satisfação; gerenciadores de filas; ambientação musical das lojas, entre outras ferramentas.
A Telefónica onthespot atua em 82 países e conta com 15 mil clientes, o que resulta gestão de mais de 26 mil pontos de Digital Signage e 28 mil pontos de music in store. “Percebemos que tínhamos as soluções para trazer inteligência digital para as lojas e construímos um novo negócio”, diz Antonio Saramago, country manager da companhia no Brasil. “Estamos entrando em toda a América Latina e o Brasil será o nosso maior mercado”, projeta ele. 
“Definimos as tecnologias a serem aplicadas nas lojas, fazemos a implantação e o gerenciamento das telas, criamos os conteúdos e produzimos os relatórios dos dados capturados nos pontos de venda para apoiar a tomada de decisão dos gestores, numa operação única no gênero no mercado brasileiro”, explica Saramago. A estratégia da onthespot é atuar juntos às redes de varejo e também em segmentos corporativos. “As redes de bancos, por exemplo, são um nicho de alta demanda para as soluções que oferecemos. O mesmo vale para estandes de empreendimentos imobiliários, concessionários de veículos, entre outros ramos de atividade.”
Além disso, a companhia também visa disputar o mercado brasileiro de Digital Out Of Home (DOOH), canal de mídia próprio para veiculação de informações e publicidade em telas instaladas em ambientes públicos e privados. Assim, ela já assumiu a operação de Digital Out of Home da Linha 4-Amarela de metrô. São cerca de mil telas distribuídas nas estações e trens da Linha, operação que impacta mais de 700 mil pessoas ao dia. “Este é um mercado no qual pretendemos avançar no país, trazendo para cá inclusive novos formatos de telas, de grandes dimensões, como o que instalamos recentemente nas estações da Linha 4-Amarela”, finaliza Saramago.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO futuro digital
Próximo artigoPor quê omni-channel?