Vamos Black Friday?

0
1
Criado nos Estados Unidos e já chegando a sua quinta edição no Brasil, o Black Friday, que acontece aqui no dia 28 de novembro, já se tornou sinônimo de grandes descontos e promoções. Ainda que seja recente em nossa cultura, o evento traz grandes expectativas dos consumidores, que esperam comprar a um bom preço produtos que desejam, como também aos lojistas, que esperam que a data alavanque as vendas e permitam a conquista de uma quantidade maior de clientes. Ainda mais nesse ano, em que os índices brasileiros de venda não foram muitos satisfatórios para o comércio, fazendo com que a data traga, inclusive, a esperança de fechar o ano com números positivos, ainda mais quando se trata no comércio eletrônico, setor que mais investe e se beneficia com o Black Friday. “Trata-se de uma excelente oportunidade de venda, que movimenta a indústria como um todo”, afirma Leandro Soares, diretor de marketplace do MercadoLivre. “No caso do MercadoLivre.com, como um marketplace, a data é especial para os compradores, que pretendem encontrar as melhores ofertas e até mesmo antecipar as compras de Natal, e para os vendedores, que aproveitam a oportunidade para aumentarem suas vendas.”
Mas não é por menos, somente na edição do ano passado, a data trouxe um faturamento para o e-commerce de R$ 770 milhões, que, segundo Pedro Guasti, diretor executivo do E-bit, representou um número oito vezes maior do que a sexta-feira imediatamente anterior. “Para esse ano, levantamos um dado em que há a expectativa de que o faturamento seja de R$ 1,2 bilhões, crescimento de 56%, em relação ao ano passado”, acrescenta.  Sem contar que o ganho poder ser maior, se levar em conta a chance que a loja tem do cliente voltar para as compras de Natal. De acordo com pesquisa feita pelo Busca Descontos, portal que trouxe o evento para o Brasil, 40% das pessoas que compraram no Black Friday no ano passado voltaram às lojas para as os presentes do Bom Velinho. “A data é uma ótima oportunidade para que as empresas atraiam mais consumidores para dentro da loja com promoções e descontos atrativos e ofereça a eles uma experiência positiva de compra”, analisa Ludovino Lopes, presidente da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). “A partir desse primeiro contato, a loja pode mostrar o diferencial dos seus serviços/produtos e fidelizar o cliente para as próximas datas comemorativas.”
Sim, atrair os clientes deve ser uma meta para os negócios que participarem do dia, pois será somente por meio da fidelização e conquista que conseguirão atingir resultados positivos nas vendas e o evento não se tornará um fracasso. No entanto, não basta se fazer presente e colocar algumas ofertas à disposição dos consumidores. Os empreendedores precisam ter em mente que é necessário estar preparado para conseguir aproveitar da melhor forma as vendas e oferecer uma experiência positiva ao cliente. A preocupação é primordial, justamente, por já ter se tornado um dia sinônimo de bons preços e oportunidades, e a quantidade de clientes que entrarão nos sites à procura de uma oferta cresce de uma maneira, muitas vezes, não esperada. Por exemplo, o site Zoom que, na edição do ano passado, teve um crescimento de 900% nas visitas.
Para que o Black Friday não seja, então, um fiasco e nem faça que o negócio tenha uma imagem negativa por um longo prazo de tempo, é preciso que comece os preparativos antes de sua data. “É se estruturar para poder oferecer o melhor serviço possível e em qualquer época do ano, até mesmo nesses grandes picos de venda, assim ela conseguirá adquirir cada vez mais clientes e crescer no mercado”, explica Eduardo Storini, fundador da Agência St. Assim, é preciso investir em pesquisas de mercado, para saber quais são os produtos que serão mais procurados, ter em mãos números que mostrem quantos possíveis clientes poderão acessar a página, o quanto será necessário ter em estoque, entre muitos outros dados. 
Ou seja, nada mais é do que um planejamento bem estruturado. “Sem ele (planejamento) durante o evento será apenas mais uma empresa kamikaze arriscando a marca, imagem da empresa e não conseguirá manter o consumidor como um cliente fiel. É nunca esquecer de tomar todos os cuidados necessários para que não prometa coisas que não possa cumprir ou não suprir as necessidades dos usuários”, adiciona Storini.
Assim fez o MercadoLivre, para que o evento traga resultado satisfatórios para os vendedores que fazem parte do site e também para os consumidores, a empresa realizou uma pesquisa, a fim de saber quais são as reais intenções e desejos dos compradores e vendedores do site. “Foram, ao todo, 4.343 respondentes. De acordo com o levantamento, 60% pretendem comprar na Black Friday deste ano e 38% disseram que talvez comprem na Black Friday de 2014”, conta Soares. Além disso, com o estudo, também foi possível conhecer os produtos os consumidores desejam comprar, quanto pretendem gastar, como também qual promoção consideram ser mais atrativa – se é porcentagem de desconto, freta grátis ou parcelamento sem juros. “Após analisar o resultado dessa pesquisa, selecionamos um conjunto de vendedores para oferecermos as melhores ofertas de acordo com o interesse dos usuários.”
Porém, como nem todos realizam o mesmo trabalho, a Camara-e.net, em união com o Busca Descontos, lançou em 2013 o Black Friday Legal. “As empresas que aderirem ao programa terão direito a usar o selo do projeto, que identifica as lojas virtuais que assinaram o Código de Ética do Black Friday e se comprometeram com as boas práticas do comércio eletrônico, como oferecer apenas descontos reais, sem maquiar as ofertas; entregar os produtos dentro do prazo prometido, entre outros”, expõe Lopes. No ano passado, ao todo, foram 123 adesões, mas o executivo conta que é esperado que a quantidade de empresas interessadas em provarem que cumprem com as normas aumente. 
 
Com selo ou sem, o principal é que as empresas não procurem ganhar benefícios de maneira errada com os seus clientes e tenham consciência de que não há muitas dificuldades em se prepararem para o dia. “Se todo mundo fizer o ´Bê-a-bá´ certinho do marketing digital e tratar com carinho seu relacionamento com o cliente, terá muito resultado no dia 28 de novembro”, prevê Storini.

E para você, por que uma empresa deve participar do Black Friday? Participe da nossa enquete!


Confira também as outras matérias do Especial:
Participar do Black Friday é importante, mas é preciso estar preparado
Fazer parte do Black Friday chama atenção para novos clientes, mas não pode ter falsos descontos
Black Friday, como nos outros anos, promete ser um dia de encantamento de clientes e mais vendas
Durante evento, lojas usarão selo que prova respeito ao código de ética e ajudam clientes na segurança
Por mais que dure apenas uma sexta-feira, Black Friday pode trazer resultados duradouros
Black Friday, bem como vendas de Natal, é a saída para um resultado positivo no ano