Vendas Diretas crescem 14%

0
13

Neste terceiro trimestre, a ABEVD – Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas – registrou um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano passado. Levando em conta o IPCA, o crescimento real do volume de negócios na venda direta neste período é de 7,1%, totalizando um volume de negócios de R$ 2.5 bilhões contra R$ 2.2 bilhões em 2003. No acumulado dos três primeiros trimestres, esse número chega a R$ 7 bilhões.
Rodolfo Guttilla, presidente da ABEVD, explica que este crescimento é o reflexo dos esforços das empresas de venda direta em desenvolver um portfólio de produtos que atendam perfeitamente às necessidades específicas dos consumidores. “As companhias estão produzindo artigos inovadores, com tecnologia de ponta, para conquistar os clientes, que são ávidos por novidades. Por meio de nossos revendedores, estamos levando cada vez mais produtos de alta qualidade aos lares brasileiros”, completa.
Os registros do trimestre revelam ainda que houve um incremento de 10% nos itens comercializados, totalizando 248 milhões de produtos de cuidados pessoais (cosméticos, perfumes, bijuterias, vestuário, entre outros), cuidados do lar (utilidades domésticas, produtos de limpeza, cama, mesa e banho), complementos nutricionais, lazer, serviços, entre outros. Durante estes nove meses meses, atuaram no sistema de Vendas Diretas, cerca de 1.3 milhão de pessoas, um número expressivo, uma vez que é considerável o turnover neste setor.
Pelo oitavo trimestre consecutivo, a ABEVD comemorou o fechamento do balanço positivo. “Estamos presenciando um crescimento contínuo em nossas vendas. Essa realidade reforça a consolidação das vendas diretas, que tem se mostrado promissora, ao sempre apresentar bons resultados, mesmo em tempos em que a economia é desfavorável”, arremata Guttilla.