Vendas do pequeno varejo mostram reação

0
2
O desempenho das vendas do pequeno varejo no estado de São Paulo mostra sinais de leve aquecimento em fevereiro. No referido mês, o faturamento real do grupo apurou alta de 3% em relação a igual período do ano passado, contra elevação de apenas 0,6% verificada em janeiro no contraponto ao primeiro mês de 2006. Assim, no acumulado do primeiro bimestre de 2007, as vendas cresceram 1,7% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.
“O resultado pode ser considerado razoável uma vez que em 2006 essas empresas mostraram bom desempenho e encerraram o exercício com avanço de 6,5% no faturamento real. Mas ainda não configura uma tendência de longo prazo”, afirma o presidente da Fecomercio, Abram Szajman. Ele acrescenta que o crédito deve ser o principal fator de sustentação das vendas, visto que o crescimento da renda dos consumidores deverá ser mais modesto neste ano.
No contraponto fevereiro de 2007 e igual período do ano passado, apenas três grupos foram responsáveis pelo desempenho positivo: Móveis e  Decorações, Vestuário, Calçados e Tecidos, e Eletroeletrônicos, que apuraram altas, de respectivamente, 20,1%, 19,1% e 1,2% no faturamento real. Ainda na mesma base de comparação, apuraram queda nas vendas: Alimentos e Bebidas (11,4%), Autopeças e Acessórios (9,4%), Materiais de Construção (6,3%) e Farmácias e Perfumarias (1,6%).
Já no comparativo entre os dois primeiros meses deste ano e o primeiro bimestre de 2006, o resultado foi o seguinte. Registraram elevação: Vestuário, Tecidos e Calçados (16,3%) e Móveis e Decorações (15,5%). Apuraram recuo: Alimentos (10,6%), Materiais de Construção (9,6%), Autopeças
e Acessórios (7,1%), Farmácias e Perfumarias (4,1%) e Eletroeletrônicos (1,7%).