Vice-presidente da República participa de fórum da ADVB

0
1

“Estou pronto e peço a Deus que me ajude a responder as perguntar”, disse o vice-presidente da República, José Alencar, no iniciou da sua apresentação no Fórum de Debates Políticos e Empresarial da ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil), no dia 29 de março, em São Paulo. De forma bem humorada, o político pediu ainda aos empresários que fossem generosos em suas questões e brincou com a platéia, composta por cerca de 900 ouvintes, toda vez que aplaudiam uma pergunta polêmica.
Alencar criticou as altas taxas de juros que emperram o crescimento econômico, mas enfatizou que não estava fazendo oposição ao presidente Lula, porém não concorda com algumas posições do governo, principalmente no segmento econômico. Para o vice-presidente, a estagnação da nossa economia começou no período de 1995 a 1999, com um equívoco cambial praticado nesses anos, “o Brasil possui déficits brutais. Pagamos nossos credores internacionais com juros exorbitantes, equivocados e desnecessários. Enquanto boa parte dos países paga os empréstimos com taxas de 1,5% ao ano, negociamos a 10% ao ano. Vê-se que alguma coisa está errada”, explicou.
Os resultados positivos nas transações internacionais em 2003 foram importantes compensações às dificuldades econômicas sofridas pelo mercado, segundo José Alencar. “O Brasil bateu recorde de exportações no ano passado, alcançando um superávit na balança comercial de US$ 25 bilhões. Superamos também as transações correntes, com superávit de US$ 4 bilhões”. Isso acarretou a elevação do preço das commodites e a ampliação e abertura de mercados externos, especialmente na Ásia.
Os empresários que compuseram a mesa debatedora foram Antonino Cirrincione (presidente da Sodexho Pass do Brasil), Breno Bina Kessler (vice-presidente de vendas Corporativas da Embratel – Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A.), Carlos Faccina (diretor de Assuntos Corporativos da Nestlé Brasil), Elcio Anibal de Lucca (presidente da Serasa), Latif Abrão Junior (presidente da Intermédica Saúde) e Luís Avelar, vice-presidente executivo de Marketing e Inovação da Vivo.