VR lança CDVR Eletrônico

0
0


A VR, empresa especializada em benefícios, acaba de lançar o CDVR Eletrônico, serviço que facilita a contratação de crédito consignado com desconto em folha. A ferramenta elimina assinaturas físicas, substituídas pelas identificações eletrônicas, e elimina o fluxo de papel entre a VR e o RH, pois todos os documentos, inclusive os contratos, são digitalizados. Com isso, o dinheiro entra na conta do solicitante em um dia útil, após a aprovação do crédito, e os funcionários de recursos humanos, que administram as solicitações, são praticamente liberados do trabalho operacional.

“O CDVR Eletrônico é uma grande inovação da VR para o mercado brasileiro de crédito consignado”, afirma Carlos César Coutinho, diretor de negócios do Grupo VR. “A empresa, precursora dessa modalidade de crédito, lançada em 1998, moderniza mais uma vez o setor e oferece uma solução ágil, segura e de fácil contratação para os funcionários das empresas-clientes VR”, explica.

A contratação de crédito via CDVR Eletrônico é simples de ser realizada. O funcionário acessa o portal www.vr.com.br, clica no link “Empréstimo CDVR”, localizado na área ´Para Você´, e, na tela, preenche o formulário de solicitação de empréstimo. Antes da contratação, o cliente também pode realizar simulações, para verificar quais são suas opções de crédito. Após a solicitação, o RH da empresa é informado e deve validar o processo, para que os recursos sejam liberados. Depois da aprovação do RH, o crédito é depositado na conta indicada em um dia útil.

“Antes, o processo poderia levar de a 3 a 7 dias, devido ao trâmite de papéis, que foi descartado pela adoção do CDVR Eletrônico”, comenta Carlos César. “Desenvolvemos a ferramenta especialmente para a contratação de crédito consignado com desconto em folha, o que garante ao usuário e ao RH comodidade, segurança e facilidade na utilização”, completa.

A VR estima que, com o novo serviço, a contratação do Crédito Consignado VR cresça cerca de 50%, entre 2006 e 2007. O produto fechou 2005 com uma carteira de R$ 56 milhões e deve chegar a R$ 100 milhões até o final de 2006.