Workshop provoca novos ideias

0
7
Depois das apresentações e dos debates que visavam à reflexão e insights, o Meeting ClienteSA – Bench & Transformação, como parte do novo formato, realizou um workshop com os participantes. Divididos em grupos e temas distintos, os presentes foram desafiados a fomentar ideias práticas de negócios – com o esboço de um plano estratégico – levando em conta a inspiração proporcionada pelo encontro.
O facilitador, Onófrio Notarnicola Filho, consultor e coordenador da área de Conhecimento da ClienteSA, preparou um modelo de Canvas simplificado e ofereceu aos participantes para debate interno, determinação da ideia e a formatação do modelo de negócio. O professor Onófrio apresentou algumas pistas para orientação dos grupos. Cada integrante deveria refletir sobre um tripé básico: desejabilidade, viabilidade e praticabilidade. E basear seu modelo de negócio com capacidade de responder às elementares questões de “o quê, como, para quem e quanto custaria”.
Demonstrando bastante engajamento no desafio proposto, os grupos trabalharam com afinco e apresentaram ideias e detalhes que surpreenderam até o experiente consultor que os orientava. Um dos grupos propôs a criação de uma plataforma web que funcionaria como um aplicativo de parcerias. Essas seriam feitas com redes da área da saúde, consultorias de gestão, planos de alimentação e qualidade de vida. Não se esquecendo das atividades voltadas para as pessoas com necessidades especiais.
Reunidos em outra das mesas do evento, participantes propuseram a informatização de um serviço inteligente de manutenção preventiva dentro do mercado automotivo. Os veículos de passeio e os utilitários passariam a ser dotados de sensores para a conectividade e a central de serviços virtual alimentaria de informações sobre soluções de manutenção tanto no dia a dia quanto em momentos críticos.
Um terceiro grupo propôs uma solução para a inclusão digital dos idosos. Outro esboçou a construção de uma plataforma digital para seleção de administradores. E, entre outras ideias desenvolvidas no exercício, houve também a que, por meio de Inteligência Artificial, criaria um suporte virtual para o atendente de primeiro nível na central de relacionamento. Um chatbot capaz de auxiliar o operador durante o atendimento.
Em sua análise dos trabalhos, Onófrio elogiou o empenho e a criatividade com visão prática em todos os grupos. “Vocês passaram por uma experiência a ser levada para toda a vida”, exclamou, concluindo: “Conseguiram gerar propostas de valor que realmente podem se transformar em um projeto”.
Dessa forma, Vilnor Grube, CEO e fundador dos portais Callcenter.inf.br, ClienteSA e Portal Crédito e Cobrança, manifestou-se positivamente surpreso com os resultados do trabalho em grupos: “É surpreendente a diversidade de indústrias surgidas no desenvolvimento das ideias. Esse workshop era um desafio, por seu caráter inédito e inovador, mas o saldo foi extremamente positivo e compensou o esforço de todos”, concluiu.
PESQUISA IN LOCO
Em seguida, Clóvis Castelo Júnior, consultor e head de pesquisa da ClienteSA, apresentou os resultados da sondagem feita ao longo do dia junto aos participantes. As questões versaram sob os temas do Meeting. Segundo o consultor, as palavras que mais se destacaram na questão em aberto a respeito da transformação digital foram processos, tecnologia e pessoas. E gerou no especialista uma dúvida: até que ponto as conclusões da pesquisa da ClienteSA, apresentada na abertura do evento, teria influenciado ou não os presentes.
Isso porque, em alguns temas, as respostas coincidiram exatamente com o levantamento inicial. Por exemplo, quanto às atividades que os profissionais consideram devam ser automatizadas. E houve a unanimidade a respeito de uma das questões: a transformação digital não é uma simples moda passageira. Veio para ficar e é irreversível.