Varejo: 2010 é melhor ano da década

0
2



O SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) que mede o movimento das vendas a prazo registrou alta de 10,9% na primeira quinzena de dezembro, comparado com igual período em 2009, com o mesmo número de dias úteis. As consultas ao SCPC/Cheque (vendas à vista) subiram 16,2 % (na mesma base de comparação entre períodos), segundo a ACSP, baseada nas informações fornecidas por sua empresa privada SCPC Boa Vista Serviços (BVS), que administra o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC).


Neste momento, o crescimento das vendas à vista superam as vendas a prazo, em função do forte aumento das pessoas que recebem o 13º salário. Além disso, segundo pesquisa ACSP/Ipsos, 76% das intenções de uso desse dinheiro vão para compra de roupas ou calçados e presentes pessoais, que são, normalmente, pagos à vista. Por outro lado, as medidas “macroprudenciais” adotadas pelo Banco Central (BC) podem já estar surtindo efeitos no crediário. 


Na variação mensal as consultas ao SCPC registraram alta de 32,3% na primeira quinzena de dezembro, sobre a primeira quinzena de novembro (com dois dias úteis a mais) e o SCPC/Cheque deu um salto expressivo de 42,4% (na mesma comparação entre períodos). Destaca-se que essa alta tem um caráter sazonal, gerado pelas vendas de Natal, além dos dois dias úteis a mais. Mas quando comparado com a primeira quinzena de dezembro de 2009 o crediário cresceu 37,4% e o SCPC/Cheque pulou também 42,6%, sugerindo que na margem o crediário sofreu alguma desaceleração em comparação com o ano passado, quando não havia medidas “macroprudenciais”.


Os registros recebidos (carnês em atraso) apresentaram uma queda de 3,5% na primeira quinzena de dezembro (comparada com o mesmo período em 2009). Já os registros cancelados (carnês quitados e/ou renegociados) apresentam forte alta de 16,3% (na mesma comparação entre períodos) beneficiada pelo crescimento do emprego formal e da abundância de crédito para renegociar dívidas em atraso.


As estimativas para este ano de 2010 apontam para uma alta de 10,3% para o SCPC (vendas a prazo) e de 8,1% para o SCPC/Cheque (vendas à vista) refletindo assim a expansão do crédito e o crescimento da massa salarial.  É preciso lembrar também a base fraca de comparação em 2009 e o dólar baixo que barateou os produtos importados, que fazem concorrência aos nacionais, beneficiando nisso o consumidor final.
 
Os registros recebidos (carnês em atraso) ficaram praticamente estáveis ao longo do ano de 2010, com ligeira alta de 0,3%. Já os registros cancelados (carnês quitados e/ou renegociados) tiveram uma elevação anual de 8,%, beneficiados pela recuperação do emprego formal e pela maior oferta de crédito, que permitiu renegociar as dívidas atrasadas.


“Em síntese, tanto o Natal de 2010 quanto o ano de 2010 serão os melhores da década para as vendas do varejo, como nós já havíamos previsto várias vezes nos últimos meses”, disse Alencar Burti, presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo.