Como transações online e offline estão se tornando “frictionless”?

 
Muita gente experimentou pagamento por proximidade pela primeira vez durante a pandemia — continuarão usando?
O distanciamento social e as práticas de higienização provocadas pela pandemia provaram ser o impulso que encorajou muitos consumidores a experimentar os pagamentos móveis de proximidade (pagar por mercadorias usando um telefone celular como ponto de venda físico) pela primeira vez.
Os varejistas de comércio eletrônico, para não ficar para trás, também estão encontrando maneiras de melhorar suas transações. Os dados sugerem que os adultos planejam continuar a usar métodos de pagamento sem contato após o fim da pandemia.
De acordo com a pesquisa de setembro de 2020 da Fiserv, quase três em cada quatro millennials que usaram métodos de pagamento sem toque continuarão fazendo isso, e aproximadamente dois em cada três consumidores em outras coortes de gerações farão o mesmo. Isso indica que a maioria dos consumidores está satisfeita com este sistema de pagamento.
À medida que o mercado de pagamentos móveis de proximidade cresce em importância, as empresas trabalharão muito para conquistar os consumidores. Por exemplo, o Apple Pay e o Google Pay oferecem bônus em dinheiro de volta.
As marcas também podem oferecer incentivos como descontos e brindes em troca do uso de um método de pagamento específico. Uma das maneiras pelas quais as marcas e varejistas estão trabalhando para reduzir o atrito com o comércio eletrônico é fornecer mais métodos de pagamento na finalização da compra.
As opção “compre agora e pague depois” está se tornando popular entre os consumidores, levando a que mais varejistas a ofereça. De acordo com um estudo de setembro de 2020 da PYMNTS e do Paypal, 41,8% dos adultos norte-americanos citaram a clareza das taxas ou taxas de juros como motivo para usar a opção.
Fonte: eMarketer