A força diante da comunidade

0
11

O Brasil deu passos largos em direção à evolução do tema responsabilidade social, como fez também a ACS que aposta na comunidade como forma de diferenciação, fortalecimento da marca e retribuição. Na área de educação, a empresa trabalha com a formação de crianças, professores e pais dos alunos. Entre os programas estão o incentivo à leitura, educação ambiental, aulas de reforço, visitas à empresa e cursos de inclusão digital”, conta Cida Garcia, diretora de Talentos Humanos.
Ela acredita que o segredo para o crescimento e o fortalecimento da organização junto à comunidade é “mostrar para as pessoas que, se o negócio cresce, elas terão também um desenvolvimento indireto. É uma construção conjunta, desmistificando a idéia de considerar a empresa como um ponto isolado dentro da comunidade ou do País.
A companhia também oferece oportunidade aos seus associados que desejam cursar uma universidade. “Temos convênios com várias universidades de Uberlândia, onde oferecemos descontos que variam de 15% a 25% no valor das mensalidades”, justifica Cida. Há ainda um programa que trabalha junto às gestantes de comunidades carentes. As mulheres passam por orientações gerais sobre o parto, aulas sobre aleitamento materno, postura física, sempre acompanhadas por profissionais. Segundo Cida, o objetivo daqui para frente é acompanhar essas mães também depois que o bebê nasce. “Nossa preocupação hoje é que muitas dessas mães são extremamente carentes e não conseguem orientação e informações suficientes para cuidar dos seus filhos, e a ACS quer dar uma seqüência maior neste programa”, diz Cida. A empresa também incentiva o espírito voluntário, como o programa de formação de portadores de necessidades especiais e da terceira idade. “Quem atua nos projetos são associados voluntários. Nós oferecemos a infra-estrutura e o material didático. Já os profissionais estão lá porque gostam de ajudar o próximo”, afirma a executiva.
A área de tecnologia desenvolveu o programa de inclusão digital para formar pessoas em informática. Através da Fundação Concienciarte e Pastoral do Menor, que cuida de adolescentes carentes, a ACS começou assistir há um ano alguns destes adolescentes. “Estes meninos estão participando de um programa de formação com duração de seis meses com aulas três vezes por semana de atendimento, informática, geografia e português”, salienta Cida.