O empreendedor que transformou o mercado

0
2

O empresário Marcos Ribeiro Leite tem uma projeção meteórica. Como profissional, cresceu na Credicard, onde aos 28 anos chegou a se transformar no mais novo vice-presidente da história da companhia. Com visão aguçada e espírito empreendedor, fundou a CSU CardSystem, em 1992, e revolucionou o mercado brasileiro de meios eletrônicos de pagamento. O sucesso do negócio foi baseado numa inovadora estratégia de terceirização da administração de meios eletrônicos de pagamento. O princípio foi de proporcionar aos bancos a viabilização do cartão de crédito próprio e, assim, a massificação do produto. Foi também o marco que iniciou uma nova era do consumo no Brasil.
Oito anos depois, em 2000, Marcos Ribeiro Leite aposta na diversificação e cria o Grupo CSU, base de três novas empresas, a CSU Credit&Risk, unidade de negócio prestadora de serviços de crédito e cobrança, a CSU TeleSystem, unidade de negócio terceirizadora de contact centers, e a MarketSystem, a mais completa empresa provedora de programas de relacionamento e fidelização. A estratégia imprimida pelo empresário lhe rendeu sucesso e reconhecimento do mercado. A CSU foi considerada Empresa da Década pela Gazeta Mercantil, ganhou o prêmio Marketing Best do Século e, pessoalmente, Marcos Ribeiro Leite acabou condecorado Empreendedor do Ano, em 2002, prêmio internacional da Ernst&Young.
Expansão – Com a diversificação, a CSU ampliou sua atuação para os mais diversos setores da economia, como finanças, bancos, telecom, cosméticos, supermercados e varejo, por exemplo, agregando expertise única e, dessa forma, consolidando crescimento rápido e um faturamento de R$ 430 milhões para este ano. O resultado é a constante expansão geográfica, com 10 sites espalhados pelas principais capitais brasileiras. Os mais recentes são os sites do Rio de Janeiro e de Goiânia inaugurados neste ano e que marcam a entrada do Grupo também nestes mercados.
Uma das principais características da organização é o predomínio das soluções tecnológicas modernas dentro dos seus mercados de atuação. Para isso, há um investimento constante em softwares, hardwares e soluções de telefonia bem como uma seleção criteriosa de seus parceiros tecnológicos. Só no novo site carioca foram investidos mais de R$ 14 milhões.
Participação social – A responsabilidade social sempre fez parte da cultura da CSU, desde a sua origem. Além de campanhas de ação social realizadas ao longo do ano e de programas de qualidade de vida para funcionários, a empresa adotou a creche infantil Crescer Sorrindo, que abriga crianças de 4 meses a 6 anos, em Belo Horizonte. A CSU ainda é uma empresa Amiga da Criança (Fundação Abrinq) e é associada e parceira do Instituto Ethos. Recentemente, a empresa concretizou mais um importante projeto social, com o Instituto CSU, Centro de Treinamento Tecnológico para qualificação de desempregados. O Instituto CSU foi fundado com o objetivo principal de facilitar o ingresso do trabalhador desempregado no mercado de trabalho e já formou mais de 2500 alunos no primeiro trimestre deste ano. Ainda, ao final de cada um dos módulos do curso, o instrutor também passa orientações de como encaminhar o currículo do aluno para empresas.