Relevância para conectar marcas e consumidores

Head da Tastemade descreve os avanços e as tendências na produção de conteúdo no mundo digital

0
98
Bruno Gomes, head de vendas e parcerias de marcas da Tastemade Brasil e Latam
Bruno Gomes, head de vendas e parcerias de marcas da Tastemade Brasil e Latam

Os desafios de gerar conteúdos regionalizados, de forma permanente e orgânica para conquistar engajamento, em um canal multiplataforma global, se somam à luta por manter a relevância já consolidada por meio de criatividade ininterrupta. E o melhor caminho para isso é ousar sem medo de errar, aproveitando o retorno quase imediato proporcionado pela audiência no digital. Essa é a realidade da Tastemade, que vem há 12 anos internacionalmente e, há cinco anos no Brasil, ampliando a relevância da marca com conteúdos de gastronomia, viagens, casa e entretenimento. Tornando-se hoje, também um canal de televisão por streaming, a plataforma amplia seu escopo de agradar o público para se conectar com marcas em todas as suas verticais. Essa trajetória e seus desafios foram detalhados, hoje (03), por Bruno Gomes, head de vendas e parcerias de marcas da Tastemade Brasil e Latam, ao longo da 377ª live da série de entrevistas dos portais ClienteSA e Callcenter.inf.br.

Na empresa há seis meses, depois de uma jornada de três anos pelo canal Porta dos Fundos, o executivo iniciou o bate-papo contando um pouco de sua trajetória profissional, desenvolvida em mídias e vivenciando várias transições, inclusive com passagem pela editora Abril. Esse acúmulo de experiências o fez chegar à Tastemade, iniciativa criada em 2012, na Califórnia, por executivos do mercado americano de filmes e já com com propósito de tornar uma empresa global. A chegada ao Brasil veio três anos depois, com estúdios montados no bairro da Vila Madalena, em São Paulo. Segundo ele, o alcance é mundial, mas a produção de conteúdo relevante tem de ser local, estratégia indispensável para criar engajamento. Na sequência ele traçou um panorama de como o mercado de conexão com as marcas no universo publicitário foi mudando para os geradores de conteúdo digital, do Youtube às mídias sociais em geral. Bruno constatou a profissionalização que surgiu desse processo de ganhar destaque e atenção com os conteúdos. “Quando o YouTube se tornou relevante, os vídeos começaram a se tornar o maior e melhor meio de comunicação dali para a frente.”

Dentro dessa transição, indagado sobre os desafios enfrentados na construção de uma marca permeada de momentos polêmicos como o Porta dos Fundos, e agora chegando a um canal de outro perfil, o head pontuou que, da mesma forma que o Porta mudou a forma de se fazer humor no país, quebrando paradigmas mais conservadores, a Tastemade participa da renovação de um aspecto cultural. Ou seja, a plataforma faz parte dessa nova dinâmica por meio da qual os jovens também cozinham, dão dicas e há uma democratização que, na verdade, revoluciona a forma e os conteúdos. Um dos exemplos mencionados, criado pela empresa, é a elaboração de pratos em que aparece apenas as mãos da pessoa. Em resumo, o executivo concorda que, estando em um canal com verticais que engajam mais e proporcionam menos polêmicas, vai ao encontro das marcas que se inclinam, logicamente, por locais mais seguros para se conectarem.

Mergulhando na forma de conquista de audiência por parte da Tastemade como plataforma de alcance global, o executivo destacou, como uma das principais características, o exercício de prototipagem sem medo de errar. Na sua concepção, não há grandes dramas em retirar do ar alguma produção rejeitada pela audiência. “Isso faz parte da própria atividade, constituída de grande flexibilidade e agilidade em responder ao mercado. O digital nos proporciona essa vantagem de obter, por meio dos ‘likes’, ‘deslikes’ e comentários, feedbacks muito rápidos para saber o que está funcionando ou não. É como no mundo dos cientistas, os quais já sabem que o erro é, na verdade, apenas uma maneira de você apreender como não fazer.”

Falando em particular de seus desafios como head de vendas e parcerias para toda a América Latina, Bruno realçou que se trata de duas vertentes em momentos diferentes nesse trabalho: o mercado brasileiro e os de língua hispânica. No Brasil, onde a plataforma é relevante na vertical “comida”, ele apontou para duas metas: manter e fortalecer com inovações ainda mais esse conteúdo, mas conseguir trazer a mesma importância das vertentes “viagens” e “casa”, conquistada pelo canal nos Estados Unidos, elaborando conteúdos regionais. Já nos demais países da América Latina, o esforço está em alcançar o mesmo destaque que já tem a marca no Brasil e na Argentina. “São diversos sotaques diferentes e tem um grande peso essa estratégia de regionalizar organicamente para poder engajar.”

Paralelamente, detalhou o executivo, a Tastamade, há um ano, se tornou um canal da Samsung TV Plus e Pluto TV, tornando-se uma empresa de conteúdo linear, desdobrando-se em uma experiência diferente. “Éramos um canal que disseminava conteúdo pelas mídias sociais, mas hoje temos uma emissora de televisão. Isso impacta em uma audiência nova, que no Brasil já chega a 10 milhões de pessoas por mês. E o conteúdo começa a ser acompanhado via telas grandes de TV. Em resumo, muitos dos nossos programas de maior sucesso na internet não têm o mesmo impacto no aparelho televisivo.” Por fim, o executivo ainda descreveu a forma como as várias marcas importantes do mercado brasileiro têm escolhido a Tastamade para expor seus produtos e serviços.

O vídeo com o bate-papo na íntegra está disponível em nosso canal no Youtube, o ClienteSA Play, junto com as outras 376 lives realizadas desde março de 2020. Aproveite para também para se inscrever. A série de entrevistas terá sequência amanhã (04), recebendo Wagner Domingues, country manager da EF English Live Brasil, que falará dos desafios e novos fronts do ensino virtual; e, encerrando a semana, o Sextou debaterá a cultura cliente na Black Friday, com a presença de Marcelo Osanai, executivo-chefe da NielsenIQ|Ebit, e Gustavo Potenza, gerente de marketing da Lalamove Brasil.