A hora e a vez delas

0
19



Elas chegaram com tudo. Em busca de reconhecimento e independência financeira, as mulheres vieram para o mercado de trabalho e, cada vez mais, estão conquistando o seu espaço. Para o superintendente de Recursos Humanos da TSA, Déco Menten, esse cenário é resultado da necessidade da independência financeira, de mostrar potencial, talento e se tornarem competitivas. “As mulheres na última década vêm buscando um reconhecimento diferenciado no mercado e, para isso mostram, a cada momento, que são competentes e dedicadas como qualquer outro profissional. Não é uma questão de apenas de sexo, é uma questão de mercado hoje”, afirma o executivo.

 

Presença cada vez maior no mercado de trabalho, as mulheres acharam no setor de call center um espaço ideal para elas. Tanto que são maioria. Na TSA, por exemplo, elas respondem por 70% do quadro de funcionários. Para Déco Menten, superintendente de Recursos Humanos da TSA, isso se deve em parte porque elas são mais atenciosas, dedicadas e cuidadosas, o que se encaixa com o perfil da área. “Ela são muito mais empáticas por natureza”, completa.

 

Outro ponto destacado pelo superintendente é a possibilidade de trabalhar seis horas por dia, o que permite ter uma profissão e ainda ter tempo para estudar e cuidar da família. É o caso da operadora Aline Santana de Jesus, de 21 anos, que pode conciliar o trabalho aos estudos. Funcionária desde abril de 2011, ela conta que esse é seu primeiro emprego e que ele lhe trouxe oportunidades, pois além de permitir que prosseguisse com a faculdade, devido ao expediente e a proximidade, aprendeu a se relacionar melhor com outras pessoas e a conviver com a cultura institucional, tendo responsabilidade sobre as tarefas e atitudes. “Tive um grande avanço enquanto pessoa!”, comemora.

 

A experiência tem sido tão boa que ela cogita atuar na área. “Curso o sétimo semestre de Educação física e antes de conhecer o setor call center minha intenção era jogar e treinar. Com essa experiência, já pensei em seguir carreira na parte administrativa”, comenta Aline, acrescentando que a mulher tem conseguido seu espaço no mercado de trabalho por força de vontade e determinação. Para ela, houve uma mudança cultural. “Hoje em dia as mulheres buscam realizações materiais também, coisa que no passado não existia. Acredito que no futuro as mulheres estarão representando muito mais cadeiras executivas do que hoje. Esse avanço não para”, conclui.

 

AÇÕES ESPECIAIS

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, a TSA irá presentear as colaboradoras, como costuma fazer todos os anos. Além disso, a empresa está para implementar, ainda esse ano, dois projetos voltados para esse público: o “Grávidas com você” e a “Oficina de Artesato (Feito a Mão”).