ACS abre site em Campinas

0
0


Campinas foi a cidade escolhida para abrigar o novo empreendimento do Grupo Algar. Após um ano de planejamento e avaliação de diferentes localidades, a cidade foi a que mais apresentou vantagens competitivas para a instalação do novo contact center da ACS. Este projeto faz parte dos R$ 44 milhões que serão investidos este ano na ACS, contando com financiamentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e de outros bancos.

O empreendimento de 8.500 m² de área construída em uma área de 28 mil m², localizado estrategicamente às margens da Rodovia General Milton Tavares de Sousa (sentido Campinas – Paulinea) Km 117 será inaugurado em outubro e deve gerar em torno de 3.000 novos empregos diretos e 800 indiretos, no primeiro ano de operação. Inicialmente ativará 300 posições de atendimento (PA´s), mas terá capacidade de atendimento de 1.500 PA´s. A ACS oferecerá no Estado de São Paulo os mesmos serviços e soluções que já disponibiliza há seis anos em Minas Gerais, como atendimento a clientes (SAC), televendas, cobrança, help desk, pesquisas de mercado, Internet Call Center, atendimento internacional, entre outros.

“Esta nova unidade da ACS em Campinas faz parte de nosso projeto de expansão na área de telecomunicações. Estão previstos para este ano cerca de R$ 130 milhões de investimentos em nossas empresas neste setor, aplicados principalmente na expansão da rede de banda larga da CTBC e de infra-estrutura de contact center da ACS”, explica o CEO do Grupo Algar, José Mauro Leal Costa. Segundo o executivo, o objetivo é aproveitar a retomada da economia brasileira e dar seqüência a um crescimento de forma sustentável. “Fechamos 2004 atingindo a marca de R$ 1,7 bilhão de receita líquida e todas as nossas empresas tiveram lucro”, conta o executivo.

Dez cidades foram cotadas para sediar o novo contact center da ACS, que já tem dois centros de operações (sites) em Uberlândia, Minas Gerais. “Campinas nos oferece dois fatores importantes quando o assunto é contact center. Primeiro a concentração de estudantes universitários com excelente nível educacional. E segundo, tem proximidade com grandes centros de decisão como São Paulo e Rio de Janeiro”, explica o diretor superintendente da ACS, Divino Sebastião de Souza. Além disso, o executivo salienta que o nível de qualidade de vida foi fator decisivo na escolha, já que a empresa queria manter os mesmos padrões de excelência considerando aspectos como transporte coletivo, segurança e ambiente saudável para os atendentes.