Anatel visa estabelecer novo acesso de dados

0
5

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) colocará em consulta pública dois modelos que visam estabelecer uma nova forma de acesso de dados inclusive à Internet. A informação foi confirmada pelo conselheiro da agência, Luiz Tito Cerasoli, na sede da Anatel em Brasília.

Para fazer a conexão, o usuário paga pelo uso do serviço de telefonia, ou seja, a utilização do pulso telefônico. Segundo Tito Cerasoli, este sistema está criando uma série de deformações na utilização da Internet. Durante o dia, em que o pulso é contado a cada quatro minutos, o uso da Internet está sendo restringido, principalmente pelos pais. À noite, quando a conexão à Internet e qualquer ligação local são tarifadas contando-se apenas um pulso independente do tempo de utilização, o uso da Internet é mais intenso.

‘O Conselho, preocupado com isso, está tentando estabelecer uma nova forma de acesso às redes de dados, na qual se enquadraria a Internet’, explicou Tito Cerasoli. Outro problema que deverá ser resolvido com a implantação de um destes modelos é a separação da transmissão de voz e dados.

Para democratizar o uso da Internet, a Anatel já está estudando dois modelos, ambos com tarifa única, independente do tempo de utilização. Em um deles, a prestação do serviço seria por meio das prestadoras de telecomunicações que cobrariam uma tarifa única. No outro, os provedores de serviço de Internet contratariam a capacidade de transmissão às prestadoras de serviços de telecomunicações e cobrariam pelo serviço de telecomunicações e pelo acesso à Internet em uma mesma conta.
Os dois modelos deverão ficar em consulta pública por um mês para que se decida por um deles. Após a escolha dos modelos, a proposta de regulamentação do serviço deverá ser colocada em consulta pública e em mais 30 dias quando deverá ser regulamentado o serviço. A expectativa é que todo o processo esteja concluído até dezembro.