Avaya mantém cautela

0
2



Ainda reflexo do ano passado, em que se criou uma grande expectativa de crescimento da economia nacional que não se realizou, a Avaya está cautelosa para 2013. Tanto que o presidente no Brasil, Nelson Campelo, pontua que a evolução da empresa deve ser perto de dois dígitos, girando em torno de 8 e 10%. Ele explica que se por um lado existem segmentos que podem surpreender, permitindo crescer pouco mais, ao mesmo tempo existem outros setores que podem, eventualmente, impactar negativamente. “Trabalhamos com uma expectativa de crescimento positiva, porém bastante cautelosa e que vai demandar uma gestão eficiente, muito no detalhe”, completa o executivo, em entrevista exclusiva ao portal Callcenter.inf.br.

 

Dentro dessa linha, Campelo conta que a estratégia da Avaya será de estar muito perto dos clientes, dando-lhe atenção e trabalhando com o foco na satisfação. Ele esclarece que a empresa mede trimestralmente o índice de satisfação de clientes e os resultados têm sido bons. “Isso mostra que mesmo em um período de crescimento não muito alto como no ano passado, estar próximo dos clientes é importante e dá retorno no médio prazo”, destaca.

 

Outra aposta da empresa é no setor de contact center, onde espera apoiar não só na expansão das posições de atendimento, mas em termos de inovações no atendimento. Segundo o presidente, esse mercado passa por um momento em que a qualidade é cada vez mais um diferencial e que há muito espaço para a melhora e, consequentemente, para auxiliar as empresas nesse processo. “Os contact centers estão cada vez mais evoluindo para um modelo multicanal, ou seja, você tem que atender os clientes a qualquer momento, por meio de qualquer dispositivo e em qualquer mídia que o cliente esteja interagindo”, pondera. Diante dessas ações, ele reforça que está extremamente otimista com o posicionamento no mercado e o portfólio competitivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNova solução de atendimento
Próximo artigoGood show ou bad show?