Brasil, futuro pólo de exportação

0
1



Uma pesquisa realizada pelo Datamonitor afirma que o número de agentes que trabalham em operações de contact center offshore no Brasil deve saltar para 11,5 mil até 2010, 30% a mais que os 3,9 mil agentes contabilizados 2005. De acordo com o estudo, a demanda dos serviços brasileiros, sobretudo por empresas norte-americanas, deve crescer a uma taxa anual estimada em 27% entre 2005 e 2010, acima da média de 21%, prevista para outras regiões.

O estudo também citou o forte mercado doméstico brasileiro que produziu mais posições para o atendimento interno do que qualquer outro país da América Latina. Além disso, as estatísticas mostram que o país já conta com um expressivo time de profissionais experientes em contact center, o que representa uma grande vantagem para gestores.

A companhia de pesquisa complementou que, em relação custo por agente, fator crítico na seleção de destinos para operações de offshore, o Brasil está em excelente posição, se comparado à India, às Filipinas, e ao Canadá, onde os custos estão aumentando rapidamente.

Em relação aos desafios que o Brasil terá que enfrentar para expandir a atuação no mercado global de offshore, incluindo fatores como idioma e percepção da estabilidade do país junto ao mercado externo e outros, de ordem macro-econômica, o Datamonitor acredita que o nosso futuro no mercado mundial é promissor.