CBCC e Teleperformance se unem

0
1

Está nascendo a terceira maior empresa do mercado brasileiro de contact center, a partir da união entre a CBCC e a Teleperformance (para ter uma radiografia das duas companhias, baixe o pdf no www.callcenter.inf.br/cenraldeatendimento). A confirmação foi dada, com exclusividade para a revista ClienteSA, portal Callcenter.inf.br e para o jornal Valor, pelo diretor superintendente da CBCC, Roberto Waddington, porta voz da nova companhia.

As duas empresas assinaram uma carta de intenções de fusão no último dia 24 de junho, ficando a CBCC com 40% da nova empresa e a francesa Teleperformance com 60%, representada pela troca de ativos. Na prática, a nova empresa passa a contar com 15 sites, 7.000 posições de atendimento, 13.000 funcionários e faturamento próximo da casa dos R$ 300 milhões, anual. A gestão será feita por dois vice-presidentes – Roberto e o argentino Leonardo Liggieri. “A diferença é uma companhia mais forte e rentável” aposta. “Esta é a primeira grande consolidação do mercado brasileiro”, justifica Waddington, executivo contratado pelo grupo controlador para transformar a CBCC, uma empresa que nasceu no mercado de pager. E reforça: “É a maior empresa brasileira independente de contact center do Brasil”. E o nome que passará a prevalecer é o da Teleperformance.

A partir desta segunda-feira, os executivos iniciam o processo de divulgação para o mercado (incluindo funcionários, clientes, imprensa) e entram com o processo junto ao Cadê, para consolidarem o negócio. A expectativa do executivo é que em um curto espaço de tempo – até três meses – o processo esteja consolidado.

A união das duas empresas, para Waddington, é resultado do processo de consolidação do mercado, além de representar confiança no País – a francesa Teleperformance é uma das maiores companhias do mundo. Ele aposta na sinergia entre as duas empresas que nos últimos anos passaram por grandes transformações operacionais. “Vamos consolidar o negócio unindo cultura de porte, escala e rentabilidade, voltada ao cliente”, aposta. Para ele, a inteligência da união está na avaliação de que o mercado está mais vendedor que comprador. “Então vamos crescer comprando”, avalia. Ele aposta como sucesso do negócio a integração da filosofia da CBCC em “entregar resultados” com o conceito da Teleperformance de medir seu sucesso pelo sucesso conquistado para o cliente. Além de agregar, no caso da CBCC, o expertise mundial da companhia francesa, que planeja se transformar na maior operação mundial de contact center.

Nota da redação: Vamos manter as duas operações independentes no ranking até a consolidação da união.