Como aumentar a eficiência dos cursos in company?

0
2


Com o objetivo de aumentar o grau de capacitação de funcionários e executivos, muitas empresas têm criado seus próprios centros de treinamento nos últimos anos. Embora a iniciativa de qualificação profissional seja não só necessária como obrigatória para manter a competitividade no mercado, nem sempre é a melhor alternativa em razão das altas somas de recursos necessárias. Em alguns casos, para reduzir as despesas de manutenção e infra-estrutura, essas empresas se vêem obrigadas a oferecer os seus serviços de treinamento a outras companhias, desviando-se do seu foco de atuação original, fato muito mais grave.


Por esses motivos, ao investir em treinamento, é sempre essencial avaliar os cursos e programas oferecidos por empresas especializadas. Afinal, quem tem como core business a qualificação profissional, certamente fará de tudo para oferecer os melhores produtos e serviços do mercado, mantendo clientes e alunos sempre atualizados no que há de mais moderno em técnicas e metodologias de gestão. Nesse contexto se encaixam também os cursos in company (cursos fechados, realizados para uma empresa específica, e na maioria das vezes nas próprias instalações).


Além da rápida propagação de um conhecimento específico a um maior número de pessoas dentro da empresa, oferece também custos bastante atrativos. Sua utilização, porém, requer algumas recomendações. Antes da contratação, por exemplo, assista a um dos cursos abertos oferecidos pela instituição sobre o assunto de interesse e veja se está adequado às necessidades da empresa. Algumas vezes é recomendado que o conteúdo seja adaptado às condições empresariais do contratante, incluindo cases reais e práticos do cotidiano.


Outra sugestão é avaliar o local onde o curso será realizado, ou seja, nas instalações do contratado ou em algum outro local. Embora muitas empresas disponham de excelentes instalações, nem sempre conseguem otimizar o rendimento de seus cursos. Parece ser extremamente difícil evitar perturbações advindas do dia-a-dia operacional dos participantes. Quando essa ocorrência for muito grande, o ideal é realizar o evento num outro local. Um espaço acadêmico traz contribuições significativas para um aproveitamento melhor por parte dos alunos.



Os cursos in company têm como ponto fraco a falta de participantes de outras empresas para troca de idéias e informações sobre soluções particulares. Assim, é aconselhável, que de tempos em tempos todos os participantes de cursos fechados tenham a possibilidade de participar também de cursos abertos, pois esta é a única forma de entrar em contato com outras realidades e vivências. Embora formar uma cultura empresarial seja importante, não devemos nos fechar a novas idéias e influências, principalmente quando elas contribuem para agregar novos valores aos negócios.


Dieter Kelber é diretor, professor e pesquisador do IADI – Instituto Avançado de Desenvolvimento Intelectual (www.iadi.org.br), onde desenvolve pesquisas sobre aproveitamento de cursos oferecidos no mercado. E-mail: [email protected]