Como equilibrar a correria do dia-a-dia com o estresse

0
7

Ao atravessar a barreira do tempo, nos deparamos com o início de um novo século. Com a rapidez das mudanças, a globalização e as potencialidades tecnológicas, o estresse passa a fazer, cada vez mais, parte da vida do trabalhador urbano. Estresse é uma reação do organismo com componentes psicológicos, físicos, mentais e hormonais que ocorre quando aparece a necessidade de adaptação a um evento ou situação de importância que surge hoje como uma reação do trabalhador que se vê obrigado a trazer mais e melhores resultados em menor tempo.


Em sua fase inicial, o estresse é positivo, pois atua como alerta. O organismo produz adrenalina que dá ânimo, vigor e energia, fazendo a pessoa produzir mais e ser mais criativa. Ela pode passar por períodos em que dormir e descansar passa a não ter tanta importância.


Mas pode ser negativo, na medida em que o evento estressante torna-se muito cansativo ou porque se prolonga em excesso. Isso ocorre quando a pessoa ultrapassa seus limites e esgota a sua capacidade de adaptação, prejudicando a produtividade e a capacidade normal, levando a sintomas como doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, afecções cutâneas, úlceras, dificuldade de respiração, falta de concentração, insônia, abuso de medicamentos, lombalgias e cefaléias, problemas sexuais, fadiga mental e física e tensão muscular.


As pessoas reagem de forma diferente a um mesmo estímulo, tornando o estresse algo extremamente individual e pessoal. Cada pessoa reage de maneira diferente, de acordo com o seu estado de espírito. As reações ao estresse e suas conseqüências afetam principalmente os sentidos da percepção, o sistema nervoso, o equilíbrio hormonal, o aparelho digestivo, as funções respiratórias, a pele, e o aparelho urogenital e o sistema imunológico.


Esses sintomas passam a fazer parte dos indivíduos sem que eles percebam que estão indo além de seus limites de saúde e bem-estar. Sem consciência de si mesmos e em busca de resultados, esses trabalhadores tornam-se incapazes de lidar com fatores estressantes, muitas vezes pelo simples fato de não saber identificá-los.


Alguns sintomas de estresse que aparecem na empresa: redução na produtividade, redução na qualidade do trabalho, faltas ao trabalho, aumento do número de acidentes ou erros, sinais de indecisão por parte dos chefes de departamentos, discussões ou demonstrações de irritabilidade, comentários maliciosos sobre os outros funcionários, desconfiança manifesta, atrasos constantes.

Para quem tem um trabalho que exige bastante energia e envolvimento e uma vida pessoal atribulada, seguem algumas dicas que podem ajudar a equilibrar a sua saúde mental e física:

– Não seja tão perfeccionista – nem sempre as coisas precisam ser à sua maneira e não exija demais de você nem das pessoas ao seu redor. Reconheça o limite de cada um, inclusive o seu.

– Exercite-se regularmente. Vá para o trabalho a pé, ou até o restaurante na hora do almoço, faça aulas de dança de salão com seu parceiro (a).

– Planeje o seu dia – otimize seu dia e administre seu tempo. Use-o para coisas realmente importantes. Para o resto, aprenda a delegar e sentir-se seguro de que está sendo bem-feito por outra pessoa.

– Recarregue suas energias. Se possível, procure parar e almoçar fora do escritório todos os dias – esta meia hora que você deixa a mente livre fará a diferença.

– Durma melhor. Perceba quantas horas de sono fazem você se sentir revigorado e procure manter este ritmo.

– Planeje intervalos – Todo mundo rende melhor quando pára para respirar. No trabalho, procure fazer um intervalo pela manhã e outro à tarde. Levante, vá até à máquina do café, elimine o hábito de fazer promessas que não vai cumprir.

– Encare a vida com otimismo. Todo mundo tem dias ou até semanas ruins, mas fases passam. E podem ser melhores se você tiver uma atitude positiva.

– Mude a sua rotina, traga novidades, não deixe-se cair na mesmice. Procure reconhecer quais fatores servem como motivadores para você.

– Alimente-se de forma saudável e faça todas as refeições. É importante repor as energias, vitaminas e nutrientes que são utilizados nos momentos de maior estresse.



– Peça ajuda quando perceber que está sobrecarregado. Saiba dizer “não” e reconhecer que você tem um limite.

– Seja paciente com as pessoas que não têm o mesmo ritmo que o seu. Crie um bom ambiente.

– Simplifique a sua programação de atividades – Não tente fazer tudo num dia só ou de uma só vez, procure dividir as atividades evitando sobrecarregar seu dia e deixando um tempo livre para simplesmente não ter nada para fazer.

– Controle a pressa e a corrida contra o relógio – Procure manter o equilíbrio emocional curtindo o processo do “ser”, do “existir” em si, em vez de só se preocupar com o “fazer”.

– Tenha qualidade de vida, que é ter uma vida bem equilibrada em todas as áreas e não ser apenas bem-sucedido financeiramente. Pesquisas realizadas no Brasil mostram que grande número de executivos, embora muito bem financeiramente, não usufruem boa qualidade de vida.

– Não se irrite com burocracia – ela faz parte da nossa rotina. Se você não pode evitá-la, por que esquentar-se com ela?

Infelizmente, a maioria das pessoas só percebe que está estressado quando a sua saúde já está comprometida. Todo indivíduo deve lidar com o estresse na medida em que ele ocorre, pois faz parte da vida. O primeiro passo para combatê-lo é compreender a sua essência e fatores que no caso de cada um funcionam como agentes estressantes. Identifique esses fatores e trate de reduzi-los. E relaxe: você sempre tem dois modos de ver o copo: meio cheio ou meio vazio – a escolha é sua!

Stefi Maerker é diretora e consultora da Secretary Search & Training