Como garantir a saúde vocal e auditiva do teleoperador

0
5


Como garantir a saúde da voz? A voz é uma das expressões mais fortes da nossa personalidade. É a ferramenta estratégica das relações profissionais e interpessoais, sendo o principal instrumento de trabalho do profissional do telemarketing, uma vez que ele é a Imagem Sonora da Empresa.


Siga estas orientações para a manutenção da saúde da voz:


– Hidratação / Hidratoterapia: Todo o nosso corpo precisa de água para um bom funcionamento. Recomenda-se beber água em temperatura ambiente, em pequenos goles, para hidratar (lubrificar) a mucosa da laringe, combatendo o ressecamento e relaxar a musculatura a cada deglutição. A partir do uso da água todas as sensações de incômodo na garganta, de ressecamento, sensação de corpo estranho, pigarros, dentre outros, tendem a desaparecer, evidenciando a melhoria da qualidade de vida da voz; bebidas e alimentos gelados costumam provocar um choque término, associado ao edema (inchaço) das pregas vocais.


– Alimentação: A regularidade e o equilíbrio da alimentação são essenciais para a produção da voz. A refeição antes da performance da operação deve ser tranqüila. Os alimentos bem mastigados irão propiciar um relaxamento da musculatura da mandíbula. Os derivados do leite, como chocolates, queijos, iogurtes, etc. devem ser evitados, pois aumentam e “engrossam” a secreção do trato vocal (muco), dificultando a emissão da voz; frutas e sucos cítricos são aconselháveis, por terem substâncias adstringentes proporcionando uma limpeza no trato vocal.


– Álcool: A ingestão de álcool causa irritação em todo o trato vocal, que é o caminho percorrido pelo som da voz.


– Drogas: O consumo da maconha é prejudicial e extremamente irritante para a mucosa do trato vocal. A aspiração do pó da cocaína pode lesar o trato vocal pela perda da sensibilidade.


– Fumo: A fumaça quente do cigarro agride todo o sistema respiratório, trato vocal e principalmente as pregas vocais. Esta agressão pode levar a irritação do trato vocal, aumento das pregas vocais por edema e proporcionar o aparecimento de pigarro e tosse em decorrência do volume de secreção aumentada.


– Pigarro: Este é um vício muito comum entre as pessoas, havendo ou não necessidade real de se “limpar a garganta” no caso de alguma secreção presa.


– Tosse: É um abuso enorme para as pregas vocais, que batem com força uma contra a outra causando extrema irritação.


– Gritar: É uma das atividades mais agressoras para as pregas vocais. No grito, ocorre uma verdadeira “trombada” entre as pregas vocais.


– Vestiário: Roupas que apertam a região do pescoço e abdome, assim roupas muito justas, de maneira geral, devem ser evitadas por causarem dificuldades para o movimento respiratório e para a liberdade da movimentação muscular.


– Ar condicionado: É um grande vilão para os profissionais da voz, porque promove mudanças bruscas de temperatura, acarretando o ressecamento do ambiente e, conseqüentemente, o ressecamento do trato vocal. A ingestão de água, se possível em temperatura ambiente, torna-se imprescindível para combater o ressecamento, através da lubrificação.


– Mudanças bruscas de temperatura: Em locais em que as variações climáticas são muito grandes num único dia, é necessário que as pessoas se protejam a fim de evitar serem pegas de surpresa.


– Competição sonora: Sempre que estamos expostos ao ruído, aumentamos o volume da voz e começamos a fazer esforços para sermos entendidos. O telefone é uma situação comum que pode levar ao estresse vocal, pois além de aumentarmos o volume da voz colocamos toda a energia da comunicação apenas na voz.


– Sprays, Pastilhas: A utilização de sprays e pastilhas, sem prescrição médica, pode apresentar efeito semelhante ao álcool. Estes podem ser irritantes e possuir efeito anestésico que irá mascarar a dor na garganta, levando a um abuso vocal inconsciente.


– Automedicação: A grande maioria dos medicamentos causa alteração no trato vocal, e desta forma, devemos evitar medicamentos para a saúde da voz que não foram prescritos por um médico otorrinolaringologista que tenha examinado o paciente. Da mesma forma muitas das “receitas caseiras” indicadas para melhorar a voz, possuem ainda uma ação desconhecida para as pregas vocais, podendo em determinados casos, apresentar efeitos secundários desfavoráveis.


– Alergias respiratórias: Pessoas que apresentam alergias nas vias aéreas superiores ou inferiores costumam possuir maior tendência a apresentar alterações vocais. Apresenta maior tendência a inchar as suas mucosas respiratórias, como conseqüência dos processos alérgicos dificultando a vibração das pregas vocais.


– Sono: O sono é fundamental para uma produção adequada da voz. Uma noite de sono inadequada é denunciada claramente pela voz matinal. Nestes casos, muitas vezes nem um extenso tempo dedicado aos exercícios de aquecimento vocal darão conta de levantar a voz.


Como garantir a saúde auditiva? Uso do fone de ouvido: O melhor fone de ouvido é o monoauricular, que permite a ventilação do tubo auditivo externo e descanso da estimulação auditiva por período de uso. O teleoperador deve ser orientado no uso correto do fone de ouvido, a troca deve acontecer a cada hora e meia de uso.


O head set se torna uma ferramenta importante, pois libera as mãos do teleoperador para a digitação e consulta de matérias, o que propicia maior agilidade no atendimento e diminuição da sobrecarga da musculatura do pescoço.


Vale lembrar que ouvir é diferente de escutar. A escuta é a compreensão da mensagem, enquanto ouvir é a captação do som. No atendimento ao cliente, a importância da escuta é fundamental para a fidelização do negócio.


Hilda Cristina Costa de Souza – Fonoaudióloga da Núcleo de Talentos Consultoria – www.nucleodetalentos.com.br