Como se diferenciar dos concorrentes?

0
2

Autor: Lars Spaten
O retorto sobre o investimento (ROI) se converteu em algo fundamental para as empresas, acima de tudo em época de crise. No mercado de fones de ouvido especificamente, as empresas não buscam apenas um único aspecto de qualidade nos produtos que seus funcionários vão utilizar. A qualidade de som, a durabilidade dos aparelhos e a facilidade no uso, além da inovação e o design, são atualmente atributos exigidos pelas empresas.  
Outro dado importante para se levar em consideração é a economia de custos. Muitas empresas, no Brasil e no mundo, não têm possibilidade de trocar seus equipamentos a cada um ou dois anos, não somente pelo custo econômico, mas também pela perda de produtividade. A solução está então em escolher parceiros que oferecem produtos superiores e de vanguarda.
Para alcançar e desenvolver um compromisso com a qualidade de produtos como headsets, é preciso realizar um esforço continuado e investir em estudos, assegurando uma melhor funcionalidade e oferecendo novas tecnologias ao mercado, de acordo com as demandas e necessidades. Portanto, a qualidade deve ser uma das principais prioridades das empresas, no momento em que desenvolvem novas tecnologias, do design e desenvolvimento de produto, até sua fabricação.
 
Não podemos nos esquecer dos cuidados com a saúde, já que como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar. Os fones de ouvido devem ser ergonômicos, para que evitem possíveis danos aos ouvidos e para que cumpram normativas internacionais de regulação da exposição a ruídos no trabalho. Isso é uma condição importante, para proteger usuários, de sons que prejudiquem o ouvido e dificultem a comunicação entre as pessoas. 
Neste aspecto, vários estudos realizados têm demonstrado que os problemas no pescoço e na cervical, além de dores nas costas de funcionários em escritórios, podem ser reduzidos e até desaparecerem, simplesmente substituindo os telefones tradicionais pelos fones de ouvido e headsets. Isso corrige a postura forçada que o corpo adota, ao falar no telefone segurando com o fone entre o ombro e o rosto, para deixar as mãos livres. 
Se atendermos às expectativas das empresas e de seus funcionários, é possível se destacar, tanto em inovação, design e qualidade. O segredo está em se renovar ou morrer.
Lars Spaten é diretor deral da Jabra no Brasil