Comprometimento com o serviço prestado

0
13



Atender às metas de cada projeto como se fosse o único. É com esse espírito que a Call tem procurado trabalhar. “Não só no que tange às características de modernas infra-estruturas e soluções tecnológicas inovadoras e específicas, mas principalmente formando times especializados no tipo determinado de atendimento”, conta Ruy Trida, diretor da Call. Muito disso pode ser visto na operação da Central e Atendimento à Mulher (Ligue 180), reconhecida no Prêmio Latam, com troféu ouro na categoria Melhor Contribuição em Responsabilidade Social. “Acreditamos que o case se destacou pelo seu forte diferencial, tanto em termos estratégicos quanto de comprometimento das equipes e os resultados alcançados”, destaca.

 

Ele comenta que receber o prêmio é motivo de muita satisfação e orgulho. “A conquista do ouro internacional, numa competição em que algumas das mais importantes organizações do continente estão participando, permite dar visibilidade aos nossos esforços e confirma o Brasil no patamar mais alto das melhores práticas do segmento”, justifica. Para Trida, a própria iniciativa de criação da Aloic e a concomitante instituição do prêmio internacional às melhores práticas de relacionamento foram extremamente oportunas. “E vêm ao encontro das estratégias de todos os provedores que almejam expandir e diversificar suas atividades pela América Latina.”

 

CASE

Ao assumir a central Ligue 180, a partir de 2009, a Call decidiu por implementar uma plataforma de classe mundial e investir no desenvolvimento de pessoas em caráter de especialização, levando à profissionalização dos serviços, segundo o diretor. Isso porque as metas estabelecidas no Pacto Nacional de Luta pela Mulher eram de que a Central atendesse 1 milhão de ligações até 2011. Porém, a operação deu tão certo que já no ano anterior esses números haviam sido ultrapassados. E, em 2012, o total de interações com as denúncias que chegavam somaram mais de 2 milhões.

 

Graças ao êxito no serviço no Brasil, o atendimento foi estendido, agora, as brasileiras que se encontram em Portugal, Espanha e Itália, que são as vítimas de violência doméstica, de cárcere privado e aquelas que foram ludibriadas por organizações criminosas com falsas promessas de emprego e acabam forçadas à prostituição. E a idéia é ampliar ainda mais o serviço para atender, da mesma forma, às brasileiras em outros países nos vários continentes. “Houve um envolvimento total da Call com esse projeto de cunho altamente social. Um comprometimento que extrapola todos os cânones tradicionais da prestação de serviços. É o contact center como instrumento fundamental para a consolidação das políticas sociais no Brasil”, pontua.