Cresce a demanda por voz sobre IP

0
2

A tecnologia de voz sobre IP (internet protocol) vem ganhando espaço no mercado brasileiro. Estudos da Frost & Sullivan, empresa internacional de consultoria e inteligência de mercado, confirmam esse crescimento, principalmente em setores como empresas de TV a cabo, detentores de licenças SCM (Serviço de Comunicação Multimídia), novos provedores de serviços e concessionárias de longa distância. Além da expansão da banda larga, essa tendência se deve a preocupação das companhias em buscar soluções que reduzam seus custos operacionais, principalmente com telefonia – característica da tecnologia Voz sobre IP (VoIP). Essa previsão também é confirmada pela divisão Siemens Enterprise Networks, voltada ao segmento corporativo, que detém cerca 67% do mercado de soluções em telecomunicações fixas para empresas no País.

Especialistas da companhia informam que há cerca de 5 anos, o mercado brasileiro já conhece a tecnologia de Voz sobre IP, mas somente há um ano os projetos de unificação de infra-estrutura, efetivamente, vem se concretizando nos ambientes empresariais. Prova disto é o aumento da comercialização da tecnologia de VoIP. Na Siemens a soma de todos os projetos que envolvem Telefonia IP , no ano comercial da companhia que vai de outubro de 03 a março de 04, já superou o valor de entrada de pedidos dos anos anteriores. A tecnologia vem se tornando bastante popular, conforme amadurece e as empresas descobrem os benefícios.

Segundo um estudo da engenheira Karin Mestriner Lorena, consultora de soluções da Siemens, com a utilização da comunicação via IP, vários benefícios podem ser destacados: redução de custos, aumento de produtividade, criação e implantação de aplicações IP. Além disso, este desenvolvimento permite que a comunicação em tempo real se integre de forma consistente aos processos da empresa. Contudo, o principal ponto vislumbrado por quem adquire VoIP é, ainda, a redução de custos. A tecnologia de interligação de redes pode reduzir entre 15% a 40%, por exemplo, os custos com ligações telefônicas. A fórmula para tanto está no uso racional da capacidade das redes (largura de banda). O grau de economia de uma solução depende do perfil da empresa usuária. Na avaliação da engenheira Karin, a nova tecnologia para transmissão de voz por meio de comutação por pacotes é baseada em tecnologia robusta e soluções já implantadas em empresas de todo porte e estrutura.

Segundo uma pesquisa do Gartner Group cerca de 70% do tráfego de voz nas empresas é feita entre filiais. Por esse motivo a interconexão entre PABXs é a melhor solução para redução de custos, uma vez que possibilita a ligação telefônica gratuita entre os funcionários, de qualquer região, sem cobrança de impulsos. Esta solução é indicada para as empresas com presença em várias localidades, sejam fábricas ou rede de filiais, desde as grandes até os pequenos varejos.

Rede de dados das operadoras de telecomunicações

Conforme a distância envolvida entre as localidades da empresa, a solução de interligação pode ser realizada por rádio de microondas (antenas), por cabos de fibra-ótica, ou mesmo ser contratado um serviço de interligação de rede de dados das operadoras de telecomunicações de longa distância que atenderem a região. Com a existência desta facilidade entre as diversas regiões, qualquer chamada telefônica que um funcionário faça para fora da empresa, percorre, primeiramente, uma espécie de “túnel gratuito” até encontrar a saída mais próxima do destino final. O custo da ligação acaba muitas vezes sendo apenas o de uma chamada local, reduzindo fortemente as despesas mensais com chamadas de longa distância.

Por meio das plataformas de comunicação convergentes (HiPath), a Siemens oferece ao mercado pacotes de soluções integradas para atender a qualquer uma das infra-estruturas de transmissão (antenas, cabos ou rede de dados). A solução de VoIP da Siemens pode englobar gateways (responsáveis pela interligação de Pabx e redes de dados), softwares e aparelhos telefônicos IP.


Aplicações
A primeira geração da voz sobre IP trata-se, portanto, da convergência de equipamentos (hardware) para transmitir voz e dados sobre uma mesma infra-estrutura de rede. Já a segunda geração da voz sobre IP refere-se a aplicações (softwares) para convergência entre sistemas de TI e sistemas de comunicação. Pioneira no segmento de segunda geração de voz sobre IP, a Siemens em parceria com a Microsoft lançou o OpenScape, um sistema de software projetado para aumentar a eficiência da comunicação em tempo real e, conseqüentemente, a colaboração entre indivíduos e equipes de trabalho. O produto, desenvolvido em parceria com a Microsoft, utiliza a plataforma .Net e o Live Commnications Server, parte integrante da família Office System da Microsoft. O sistema, lançado nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e Suíça no final de 2003, já está sendo implantado em grandes organizações como a Intel, a Universidade do Exército Alemão e a própria Microsoft. No Brasil, a solução será comercializada prioritariamente por meio de integradores de sistemas de TI, empresas de outsourcing e consultorias especializadas em processos e tecnologia.

A proposta do OpenScape é acrescentar o conceito de “presença” aos sistemas de telefonia e permitir acesso a suas facilidades a partir de sistemas de Tecnologia da Informação. Correio eletrônico, sistemas de workflow, softwares de gestão empresarial e de gerenciamento do relacionamento com o cliente (CRM) são apenas alguns exemplos. Por meio de interfaces gráficas ou através de interfaces puramente de voz, o usuário do OpenScape passa a ter acesso consolidado e homogêneo a todos os recursos de comunicação da rede da empresa em que trabalha.

Um estudo realizado pela consultoria de telecomunicação Accenture em parceria com a Siemens (“Real Time Communications: Scenarios for Implementing Innovative Technologies”, Munich, July, 2003) atesta que a eficiência na comunicação é fator decisivo para a competitividade das corporações. Hoje em dia, muito tempo não-produtivo é consumido nas tentativas de localizar e estabelecer contato com alguém ou, mesmo, tentando se livrar de comunicações inoportunas. Segundo o estudo, as empresas podem economizar até 50% das despesas de capital e de operação caso integrem aplicações de comunicação em tempo real em seus processos de negócio. Além da redução de custos operacionais e do aumento de produtividade, os usuários de OpenScape passam a controlar, através de uma única interface, todas as ferramentas de comunicação com as quais trabalham diariamente. Por meio de programação prévia de status e de regras, cada usuário determina por quais pessoas, em quais horários e de que maneira prefere ser contatado. Esse acesso pode ser via mensagem de texto ou voz, e-mail ou por ligação telefônica. A programação não é estática. O sistema é inteligente e avalia diversos “indicativos de presença” como, por exemplo, compromissos lançados no Microsoft Outlook, estado do ramal telefônico (disponível, ocupado, desviado etc), proximidade entre celulares e computadores equipados com a tecnologia Bluetooth e, até mesmo, a presença do usuário em determinado ponto da rede móvel (uso do celular).

Quem já migrou sua rede de voz convencional para a tecnologia VoIP (Voz sobre IP), vai poder ampliar as funcionalidades de seu sistema. Contudo, as empresas cuja rede de voz ainda baseia-se na tecnologia TDM (sem IP), também poderão adquirir softwares como o OpenScape. “O objetivo da tecnologia de primeira geração de voz sobre IP é a redução dos custos de infra-estrutura. Naturalmente, isso continua sendo importante, mas a maior criação de valor não virá dessa redução de custos e sim do aumento de produtividade através de aplicações inteligentes de comunicação. A segunda geração não substitui a primeira. De fato, uma complementa a outra, mas no OpenScape, por exemplo, o foco deixa de ser a otimização da rede e passa a ser a interface com o usuário”, avalia Fernando Nogueira César, gerente do programa OpenScape no Brasil.