Dedic aprova criação da NR 17

0
2



A Dedic concorda e apóia totalmente a criação do Anexo II da Norma Regulamentadora 17, que estabelece parâmetros para o trabalho em telesserviços. Para e empresa, a NR 17 reflete um movimento de profissionalização que já vinha sendo observado no setor, como é o caso da criação do Probare. “É a primeira vez que se cria uma norma específica para os trabalhadores de callcenter. Isso, por si só, já representa uma grande evolução para o setor. Além disso, acreditamos que a norma atende aos objetivos iniciais, que eram definir os parâmetros básicos para garantir as boas condições de trabalho aos profissionais do setor”, comenta Wagner Cruz, diretor de Recursos Humanos da Dedic.

 

Para a Dedic, a criação de regras para o setor é muito positiva, pois vai dificultar a continuidade ou mesmo impedir o surgimento de empresas que, por razões diversas, não cumprem os requisitos mínimos para as boas condições de trabalho dos seus profissionais. “Esse fator acaba criando uma imagem negativa das empresas de callcenter e a norma pode servir para reverter esse quadro e aumentar a credibilidade do setor junto à opinião pública”, pondera Wagner. “Outro fator relevante é o aumento da visibilidade do setor, que, como um dos maiores empregadores do país, demonstra de forma concreta a sua preocupação com a saúde e o bem estar dos funcionários.”

 

A empresa também concordou com a forma com que a norma foi criada. A elaboração se deu a partir de uma comissão tripartite, composta por representantes do Governo, Trabalhadores e Empresas do setor de callcenter. De acordo com Wagner, houve uma representatividade bem equilibrada de interesses, que resultou em um consenso positivo para todos. “É uma norma que reflete o consenso dos três segmentos representados.”

 

Desde que a norma foi anunciada, a Dedic já vem realizando reuniões periódicas com suas diretorias no sentido de viabilizar a implantação da forma mais rápida possível, levando em consideração a necessidade de que essa adoção não provoque impactos nem nos colaboradores nem no nível de serviço de nossas operações. “Um exemplo é a modificação dos intervalos. Hoje praticamos um intervalo de 15min e a norma prevê dois intervalos de 10 min. Para implantar essa mudança, além de questões práticas, como a configuração dos sistemas de registro de presença, temos também que averiguar a necessidade de realocação das pessoas, ou mesmo de contratação de novas pessoas”, explica o diretor de RH. A meta da Dedic é cumprir rigorosamente os prazos estipulados na norma.