Educação no bolso

0
6



Com a evolução dos recursos disponíveis no celular, ele deixou de ser apenas um aparelho que realiza ligações e se tornou um canal de comunicação integrado e pessoal, onde as pessoas acessam Internet, e-mails, redes sociais, além de jogos e aplicativos específicos. Tantos recursos podem ser utilizados para a aprendizagem, seja complementando o conhecimento adquirido nas escolas, como uma ferramenta agregadora, seja como um recurso de educação fora da sala de aula, despertando o interesse dos alunos, sempre com dinamismo e elementos multimidiáticos e interativos.

 

Segundo Martín Restrepo, co-fundador do MobileMonday SP e diretor de tecnologias educacionais da Editacuja Editora, o celular pode ser utilizado como um instrumento de ensino que estimula novas descobertas nos alunos, auxilia os professores e enriquece o conteúdo acadêmico. “A implantação do celular no estudo, democratiza o  conhecimento, motiva os alunos e permite que os educadores inovem e proponham atividades itinerantes”, diz Martín.

 

Atualmente, algumas ações educacionais já contemplaram o dispositivo móvel para somar ao conhecimento dos alunos, incitar a troca de informação entre os colegas e complementar o conteúdo repassado pelo professor. O objetivo é fortalecer o prazer pelo estudo e permitir que o conhecimento chegue ao aluno por meio de uma tecnologia já popular para ele, possibilitando também  que os professores tenham mais recursos para ensinar e gerem diferentes oportunidades para explorar assuntos diversos.

 

No ano passado, a Editacuja, em parceria com a Fundação Telefônica e o Instituto Vivo implementou  um curso sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente exclusivamente pelo celular. O “Aprendendo em Rede Sobre o ECA” teve como público-alvo Conselheiros Tutelares de vários estados do Brasil, que puderam acessar informações sobre o Estatuto, conhecer  a história da sua construção e refletir sobre boas práticas a partir de estudos de caso.

 

Para Restrepo, democratizar o uso desse recurso deve partir das iniciativas públicas e privadas que permitam o acesso a dados e aparelhos como smarthphones, iphone ou palmtops com conteúdos inovadores e com a cara da juventude.