Esforço pessoal recompensado

0
4



“Percebi que para crescer basta mostrar o seu trabalho de forma correta. As oportunidades realmente são para todos. O que vale é o esforço pessoal e não as indicações por amizades”, afirma a coordenadora de callcenter da Uranet, Larissa dos Santos Mouro. Ela diz ter comprovado isso após participar do processo seletivo para a coordenação em que disputou o cargo com outros três excelentes supervisores, os quais hoje, fazem parte de sua equipe. “Isso fez com que eu acreditasse na empresa.”

 

Larissa conta que com o passar do tempo, começou a se interessar mais pela área e cada particularidade, projetos novos e resultados alcançados eram apaixonantes. Além do gosto, Larissa diz que seu incentivo maior foi constatar que os gestores não simplesmente mandam, ou, executam suas tarefas sem ao menos saber o que fazem. “Temos gestores que são como professores e ensinam cada detalhe do que precisa ser feito. Essa metodologia de trabalho despertou em mim a vontade de crescer, aprender e obter sucesso”, comenta.

 

Na Uranet há quase seis anos, a coordenadora lembra que entrou na empresa com 18 anos e hoje diz ter crescido não só profissional, como pessoalmente. “Ao atuar na supervisão pude me deparar com situações que hoje posso citar como aprendizado. Mas, na época, não foi fácil lidar com pessoas. Este dom é de poucos e são estes poucos que se destacam.”

 

“Acho que a generalização pode denegrir um pouco a imagem do setor, mas a experiência que tive foi especial. De 2006 até hoje não tenho uma reclamações e, pelo contrário, já entrei em discussões com amigos de outras áreas que criticam os contact centers. Meu conselho é que todas as pessoas, mesmo as que não pretendem trabalhar na área, possam conhecer, e entender a importância do call center nas empresas”. Quanto à carreira, Larissa ressalva que o importante é enxergar o futuro, traçar objetivos e fazer o sempre o melhor e desta forma, os objetivos pessoais são alcançados.