Infraestrutura continua jogando contra

0
0
Embora esteja presente em muitas conversas sobre novas tecnologias, a nuvem pouco evoluiu no setor de contact center. São poucas as ações das empresas em direção a implementação do cloud. Muito ainda pela infraestrutra que garanta qualidade na transmissão de dados de voz. “Ainda é necessário um grande investimento para a computação em cloud, de forma geral, fornecer uma qualidade de voz aceitável”, avalia Fernando Lujan, diretor de TI da Total IP.
Mas há boas expectativas, segundo o executivo, já que houve a preparação de ideias e o plantio de sementes podendo melhorar a qualidade da infraestrutura de dados no Brasil. Um exemplo dado por ele é a realização do leilão da faixa 4G, permitindo às antenas um maior alcance e diluindo os custos da implantação desse serviço. “Porém, ainda não chegou o momento da voz ir para nuvem, mas acredito estar bem próximo.” As próprias empresas também já estão experimentando mais, com website e serviço de e-mail na nuvem. Além disso, interagem com os clientes utilizando mídias sociais. “Esse cenário contribui, de forma positiva, para que as corporações se sintam seguras e cada vez mais adotem serviços na nuvem”, explica.
Lujan acrescenta ainda como favorável a adoção o fato das operadoras perceberem uma revolução nos serviços de voz. “Eles não serão somente serviços de voz, mas sim serviços de dados, entrando com mais vigor em seu portfólio. Nos EUA, a Verizon já estuda um novo serviço de Voz sobre LTE ou, para nós, voz sobre o 4G. Essas medidas irão permitir a melhoria dos links de dados e, conseqüentemente, tornar cada vez mais viáveis as soluções de contact center na nuvem”, completa.