Inin fatura US$ 239 mi em 2012

0
2



A Interactive Intelligence, fornecedora global de soluções IP unificadas para comunicação corporativa, anuncia que faturou US$ 237,4 milhões em 2012, aumento de 13%. No último trimestre de 2012, as receitas foram de US$ 70,5 milhões, sendo que a receita não-GAAP foi US$ 72 milhões, aumento de 15% . O lucro operacional em 2012 foi de US $ 1,1 milhões, comparado a US $ 21,6 milhões em 2011.

 

“Os negócios mostraram um excelente crescimento em todos os aspectos, sendo que o desempenho no quarto trimestre foi estimulado pelo impulso nas vendas tanto de nossos produtos para os contact centers na nuvem, quanto pelas vendas das soluções implementadas localmente”, comenta o fundador e CEO da Interactive Intelligence, Donald Brown.

 

Para o country manager da Interactive Intelligence no Brasil, Eric Lieb, o aumento da receita é um reflexo da grande adesão do mercado às soluções em nuvem. “Em 2012, os pedidos baseados nesse modelo representaram 35% do mix total de vendas no mundo e os instalados localmente representaram 65%. Em 2013, prevemos um aumento de 20% nas vendas, sendo que 50% serão representados por produtos em nuvens”, conta.

 

No Brasil, a empresa também cresceu nesse período. “Investimos 1 milhão de dólares na nossa nova sede, um amplo espaço na região do Parque do Ibirapuera, em São Paulo”, destaca Eric Lieb, country manager da Interactive Intelligence no Brasil. Mais do que acolher a sempre crescente equipe da companhia – que inicia 2013 com 12 profissionais em seu time -, a nova sede destaca-se por contar com o Centro Brasileiro de Treinamento e Certificação da Interactive Intelligence, o segundo na América Latina.

 

Para Lieb, o crescimento sustentável da empresa nos próximos anos está baseado em constantes investimentos e ações na área educacional. “O Centro Brasileiro de Treinamento irá garantir a atualização constante dos profissionais que trabalham com nossas soluções; quem passar por este espaço de aprendizagem teórica e hands-on irá ajudar as corporações usuárias a explorarem ao máximo a inteligência da nossa solução”.