LAN desenvolve serviço inédito de Business Desk

0
17



A LAN, empresa de soluções de tecnologia da informação e comunicação para negócios, lança o Business Desk, com o intuito de garantir o funcionamento constante da infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação das empresas. Segundo a empresa, o funcionamento eficaz auxilia na redução de custos, aumento da produtividade e lucratividade das companhias. “O Business Desk tem a capacidade de reduzir significativamente problemas e paradas repentinas dos sistemas, redes, softwares, dispositivos e postos de trabalho”, afirma o CEO da LAN, Arnaldo Goldemberg, em entrevista exclusiva ao Callcenter.inf.br.

 

Disponível apenas no Brasil, mas com planos de expansão para outros países da América Latina e para os EUA, o sistema é apresentado como uma evolução do conhecido Service Desk. Com o novo produto, a LAN prevê dobrar o número de clientes até o final de 2013, e também projeta crescer mais de 30% e faturar R$ 100 milhões no mesmo período.

 

A empresa garante ainda que o Business Desk é um serviço ativo, que monitora, gerencia e protege constantemente toda a infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação das empresas, e que, além disso, a ferramenta é capaz de identificar e apoiar a resolução dos problemas e das paradas repentinas de TIC antes mesmo de serem notados pelos usuários, como explica o CEO da LAN.  “O serviço traz benefícios para todas as áreas das empresas, no caso do call center, o benefício é o funcionamento permanente dos sistemas, permitindo que os atendentes foquem em sua atuação”, ressalta.

 

Com o objetivo de aumentar a performance dos colaboradores das companhias, a implementação do Business Desk foi submetida a testes em ambientes reais antes de ser oferecido como solução ao mercado. Para Goldemberg, entre os resultados encontrados pela LAN durante a avaliação se destacam o avanço de cerca de 20% na produtividade dos colaboradores, a redução da parada dos postos de trabalho em pelo menos 25%, a redução de cerca de 20% nos licenciamentos de software, a diminuição de pelo menos 25% no tempo de resolução de chamados, o aumento de 50% na agilidade da instalação de novos postos de trabalho e o corte imediato de pelo menos 15% no uso desnecessário de energia elétrica.