Mais que um funcionário

0
4



Autor: Gilberto Wiesel

 

Você, empresário, já começou a se planejar para 2011? Então, prepare-se: a expectativa das empresas brasileiras é de aumento nos investimentos para o próximo ano. Uma pesquisa, divulgada recentemente, da Câmara Americana de Comércio (Amcham) e do Ibope Inteligência com 500 organizações revelou esse crescimento. De acordo com o estudo, os maiores investimentos não serão em infraestrutura, e sim contratações, benefícios, capacitação e treinamento, o que devem representar 7% a mais que os 40% aplicados em 2010.

 

O principal motivo para investir em novos profissionais se deve ao fato de que os “clientes internos” são tão importantes quanto os consumidores. Então, como dar a atenção necessária aos trabalhadores e construir um relacionamento sólido? O que fazer para formar uma equipe vitoriosa? Antes de tudo, é fundamental conhecer as principais características das pessoas com quem trabalha, além de considerar cada funcionário como peça-chave para o bom desempenho de sua empresa. Isso proporciona maior conexão entre os profissionais, que passam a entender o quanto são essenciais dentro da companhia.

 

Uma das ações que tende a fortalecer esse contato mais próximo é o diálogo dinâmico e interativo, no qual a colaboração em ideias, projetos e tarefas da organização ocorre de ambas as partes. Essa relação pode ser ampliada por meio de técnicas que vêm obtendo sucesso nas empresas. Um exemplo é a Redecard, que incluiu o entretenimento no espaço profissional para integrar os funcionários. Desta forma, proporcionar mais interatividade entre os profissionais por meio de jogos e exercícios tende a ser uma forma eficaz de desenvolver o trabalho em equipe e aspectos importantes, como competitividade e liderança.

 

Mais um aspecto que deve ser levado em conta é a comunicação eficiente entre os dirigentes da empresa e seus funcionários. Isso significa informar sobre projetos e mudanças de forma a manter todos os profissionais atualizados em relação a alterações nos serviços. Tal ação evita situações incômodas, como por exemplo, clientes que ligam para saber sobre determinadas modificações e se deparam com a falta de informação e conhecimento dos colaboradores. Criar essa comunicação coletiva, da qual todos participam efetivamente e recebem atualizações acerca de novas direções para a empresa, é um bom modo de cultivar o espírito de equipe.

 

Outra atitude que tende a desenvolver um relacionamento fiel com os “clientes internos” é a inserção, no ambiente de trabalho, de ginástica laboral e outras atividades, como yoga e alongamento. Essas práticas, além de auxiliarem no desenvolvimento de uma vida saudável, melhoram a autoestima dos colaboradores, que podem desempenhar suas tarefas de maneira mais proveitosa. O ganho é duplo: ao passo que os profissionais trabalham mais motivados, a empresa consegue elevar sua produtividade.

 

O fato é que cada um desempenha determinado papel fundamental nas atividades produtivas. E a soma dessas funções, de forma integrada, gera um trabalho em equipe eficaz. Manter a relação sólida com esses clientes é exatamente uma das chaves para o sucesso. Não basta investir em mão de obra qualificada, o essencial é aproximar-se dos funcionários e desenvolver o verdadeiro trabalho coletivo, já que a organização depende dos clientes internos e vice-versa. Unidos, o objetivo torna-se comum: o crescimento e o bom desempenho da empresa. Portanto, aproxime-se desses clientes! Integre sua equipe e se entregue a ela, afinal uma só andorinha não faz o verão.

 

Gilberto Wiesel é conferencista, consultor e diretor do Grupo Wiesel.