Migração para IP está ocorrendo rapidamente

0
1


A maioria das organizações voltadas para o atendimento ao cliente deverá investir pesadamente em telefonia IP no callcenters, nos próximos três anos. Mas isto só acontecerá se elas puderem fazer um up grade nos softwares e equipamentos de telefonia. É o que mostra uma pesquisa divulgada pela Genesys Telecommunications Laboratories, empresa da Alcatel, que contou com as respostas de 500 gerentes de tecnologia de contact centers de 20 setores industriais.

A pesquisa demonstra, ainda, que a migração para a telefonia IP nos contact centers está ocorrendo rapidamente. Cerca de 60% dos entrevistados programa a mudança de pelo menos um contact center em um ano, 82% em dois anos, e a maioria migrará apenas alguns contact centers inicialmente. Segundo Wes Hayden, presidente mundial da Genesys, embora a telefonia IP esteja crescendo rapidamente, as organizações voltadas para o atendimento ao consumidor têm necessidades diferentes das empresas como um todo. “É preciso verificar como a tecnologia IP estará envolvida pelas soluções. Este é o aspecto mais crítico para essas empresas”, destaca.

Os participantes da pesquisa demonstraram ter grande preferência pelo protocolo SIP (Session Initiation Protocol) e o Open IP, padrões que lhes permitem subir de patamar utilizando os investimentos já feitos para migrar para soluções não proprietárias. O Open IP está no foco pela interoperabilidade entre as aplicações, as bases de dados e os equipamentos de telefonia. A maioria dos entrevistados reconhece os benefícios do Open IP por permitir que os contact centers façam um up grade dos investimentos já realizados em infra-estrutura e aplicações multi-plataformas. Mais ¾ dos especialistas pesquisados esperam em três anos absorver ou suportar aplicações integradas para os clientes ou tecnologias que não estão sequer previstas, o que mostra a importância de ter um ambiente flexível e aberto.

Nessa fase de transição, a maior parte das organizações espera ter, em alguns momentos, sistemas híbridos de telefonia dentro das operações, compostos pelos tradicionais circuitos integrados e alguns sistemas de IP, enquanto vão se adaptando. A maioria continuará a usar a infra-estrutura atual ao invés de optar por mudar completamente de tecnologia. Já, 41% das organizações, que estão planejando migrar para a tecnologia IP, irá investir apenas nos atuais contact centers sem agregar nova infra-estrutura.

Ainda segundo o levantamento feito pela Genesys, os Estados Unidos é a região mais lenta a adotar o IP para a telefonia. A Ásia-Pacífico é a líder desta mudança com 25% dos participantes da pesquisa já com IP, seguida em 19% por EMEA e as Américas com 15%. No mercado brasileiro, a Genesys tem atualmente projetos em fase de avaliação, prova de conceito e definição, mas ainda não possui contact center IP em produção. “Esperamos um crescimento forte deste tipo de projetos até o final deste ano”, informa Laurent Delache, diretor geral de operações da subsidiária brasileira.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFuturecom 2006 já tem data marcada
Próximo artigoPreserve o Cliente!