Miguel Cui deixa a Dedic

0
0


O Grupo Portugal Telecom anuncia o nome de Paulo Neto Leite para assumir a presidência da Dedic, empresa de contact center. O executivo substituirá Miguel Cui, que deixa a presidência da companhia, depois de quatro anos, para assumir novos desafios profissionais. O presidente da Portugal Telecom Brasil, Shakhaf Wine, deseja pleno sucesso a Miguel Cui nos novos desafios, salientando que ele realizou uma excelente gestão, demonstrando competência e profissionalismo na condução da Dedic.

Shakhaf acrescenta que a decisão de colocar Paulo Leite à frente dos negócios da empresa é a garantia da plena continuidade dos objetivos da companhia. “Paulo Leite tem ampla vivência na área de negócios corporativos, além de grande competência profissional, o que representa um excelente reforço à equipe da Dedic”, comenta o presidente da Portugal Telecom.

Engenheiro, com pós-graduação na área de logística, Paulo Neto Leite, 35 anos, está no Grupo Portugal Telecom desde setembro de 2001, ocupando o cargo de diretor executivo da PT Sistemas de Informação, onde acumulou vasta experiência nas áreas de tecnologia da informação e suporte aos clientes. O executivo considera a Dedic uma empresa referência para o setor de contact center e informa que durante o mês de dezembro estará focado no processo de transição, juntamente com Miguel Cui. Ele assume a direção da empresa a partir de janeiro de 2007. “Vamos perseguir a contínua melhoria na qualidade dos serviços prestados pela Dedic, tendo como meta a ampliação e a diversificação da carteira de clientes”, conclui Paulo Leite.

Durante o período em que esteve na presidência, Miguel Cui foi o responsável pelo lançamento da marca Dedic e pela consolidação no mercado brasileiro, levando a empresa a posicionar-se entre as principais do setor de contact center, com taxas anuais de crescimento em torno de 50%. Sob a sua gestão, a Dedic ampliou e diversificou as atividades, assinou importantes contratos com empresas de diversos setores, implantou dois novos sites próprios, viu o número de funcionários crescer de 4 mil para 16 mil pessoas e o número de posições de atendimento saltar acima de 6 mil contra 1,8 mil no final de 2002. Mais recentemente, a empresa lançou a sua Universidade Corporativa, com o objetivo de subsidiar cursos superiores aos seus colaboradores.