Motivação gera produção

0
1
O dicionário ensina que a palavra motivação significa o processo de iniciação de uma ação consciente e voluntária. Porém, nem sempre é tão simples estar motivado e, mais ainda, conseguir passar esse sentimento adiante, de acordo com Carlos Aldan, CEO do Grupo Kronberg.
É possível trabalhar para que o ambiente tenha boas relações e, assim, a automotivação começa florescer. Para o CEO, em algumas situações pequenos atos levam à automotivação e podem prevenir uma série de situações desgastantes, como intrigas entre colegas, que por sua vez geram problemas quanto ao trabalho em equipe e rendimento.
Confira as sete dicas do Grupo Kronberg para motivar os liderados:
1 – Encontre um propósito e visão de futuro comum – Existem tarefas rotineiras que podem se tornar maçantes. Por esse motivo, é necessário designar um propósito maior para elas. A tarefa realizada pode ter mais valor se for analisada de uma forma mais abrangente além das metas coletivas e profissionais. Entender o real valor por trás das tarefas é primordial.
2 – Demonstre segurança – Se você mostra segurança no que faz, acaba por inspirar o mesmo sentimento em seu colaborador. Ajudá-lo a desenvolver essa sensação é necessário em seu desenvolvimento e essa característica pode ser desenvolvida por meio de treinamentos.
3 – Desenvolva o sentimento de autonomia – Para liderar excepcionalmente é preciso ter as competências básicas de um líder inspirador. Por isso é importante desenvolver o sentimento de autonomia em seu liderado. Dar liberdade para o colaborador criar e mostrar que ele pode assumir as responsabilidades sozinho são ferramentas fundamentais para o engajamento e automotivação.
4 – Relacione-se com o seu liderado – Sem uma boa comunicação, o relacionamento saudável entre colaboradores e líderes pode ser ameaçado. Ela pode ser útil para que o líder veja novos pontos de vista e saiba quais são os desafios internos e externos, o que gera um sentido de “fazer parte da equipe” para o colaborador.
5 – Reconheça trabalhos bem feitos – É preciso reconhecer a tarefa que foi executada corretamente pelo colaborador. Quando isso acontece, ele se sente satisfeito com o serviço realizado, o que engaja seu desenvolvimento e gera melhores resultados para a corporação.
6 – Não seja severo com os erros – É importante que o líder entenda que o “erro” do funcionário é, na verdade, uma experiência em que ele pode aprender. A ideia é entender o motivo que fez com que ele agisse de forma diferente da esperada e direcioná-lo no caminho certo.
7 – Faça com que os desafios sejam uma motivação na vida da sua equipe – Mostrar para o liderado que existem desafios e há possibilidade de superá-los é uma forma de motivá-lo a seguir em frente, esquecer as diferenças com os colegas e se dedicar para alcançar seus objetivos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOperação na palma da mão
Próximo artigoDesatando nós