Não é da sua conta!

0
10
Autor: Edilson Menezes
Diz-se que a expressão “Não é da sua conta!” nasceu da seguinte maneira…
Em determinado reino, o conselheiro e seus assistentes somavam as moedas para calcular o total da arrecadação de tributos daquele mês. O príncipe, que passava por ali, disse:
– Pegarei algumas moedas, pois o que é de meu pai é meu!
O conselheiro, homem sábio, pensou: Se eu proibir, ele se queixará ao rei e terei minha cabeça decepada. Se eu aprovar, vou trair o reino porque este dinheiro tem dono.
Então, viu-se a dizer:
– Não quero que perca o seu precioso tempo contando tributos. Este dinheiro não é da sua conta, meu príncipe, posto que contar moedas é um trabalho muito desagradável. Permita que este seu servo conte tudo e depois, pedirei ao rei que me permita levar aos seus aposentos tantas moedas que nem poderás carregar!
O pequeno príncipe ficou feliz com a promessa e retirou-se. Já o súdito tesoureiro, sem saber, eternizou a expressão.
Não é da sua conta! – dizemos para a criança que tenta intrometer-se no assunto de adultos.
Não é da sua conta! -afirmamos para o amigo no trabalho que tenta em vão nos dar um conselho e de quebra, ainda reforçamos com outra crença: Se conselho fosse bom, não seria grátis!
Usando a sabedoria de Da. Anita, minha mãe querida que já partiu, o que é errado é da conta de todo mundo. Então considero justo que este articulista enfie o dedo onde não é chamado e emita um recado direto para você, empresário medroso.
Uma analogia nos permite enxergar este momento e provarei que a expressão cabe como luvas. Estamos nos aproximando do mês-chave das vendas. Se você é um destes empresários que está chorando e lamentando a crise antes mesmo de encarar o dezembrão, este artigo é para você. Se você conhece algum empresário com este perfil, quem sabe até o seu patrão, mostre este artigo para ele e nem precisa dizer quem indicou. Imprima e coloque sobre a sua mesa. Quem sabe assim lhe sacudimos?
O sucesso, empresário chorão, não é da sua conta. Sabe por quê?
Você não investiu muito em compras porque tudo parece indicar para um caminho de grande incerteza, correto? Fique tranquilo. O sucesso é da conta de quem se preparou e não comprou muito, mas comprou estrategicamente.
Você decidiu contratar um número menor de vendedores temporários para o período do final de ano, afinal o momento sugere redução de despesas, correto? Não se preocupe porque o sucesso não é da sua conta. Deixe que o seu concorrente invista dinheiro com este “gasto desnecessário” que é a força de vendas. Quando a sua loja ou o seu negócio bombar de clientes e não tiver quem os atenda, basta que atravessem a rua e encontrarão seu concorrente preparado.
Você decidiu não contratar nenhum treinamento motivacional para os vendedores, correto? Assumiu, assim, um perigoso flerte com o insucesso, levou-o para jantar e serviu-lhe um drinque. Resta saber se você vai brindar ou se vai levantar da mesa, deixar o insucesso falando sozinho e correr para os braços do sucesso que ainda te espera.
Se o que lhe digo não faz sentido e você prefere continuar blindado pelo manto da letargia, então está tudo certo porque o sucesso não é da sua conta e sim daqueles que chamaram os fornecedores para reforçar o conhecimento técnico da equipe e contrataram treinadores comportamentais para zelar por sua performance emocional.
Deixe que os seus concorrentes somem esforços para fazer aquilo que você não está disposto a fazer. Fique aí sentado sobre o muro das lamentações enquanto poucos prosperam.Mais cedo ou mais tarde, é preciso crer plenamente que conseguirá, como diria o grande Napoleon Hill. Adote esta plenitude, arme-se da convicção, beba grandes doses do desejo por sucesso, tenha coragem de ousar, prudência para analisar e vá pra cima, sem economia de comportamento, até o fim!
Tenha coragem para assumir novas demandas agora e em janeiro, você estará feliz. Ou não faça nada e em janeiro, assim como já faz hoje, continuará a lamentar. Isso sim não é da minha conta, porque como você que acompanha meus textos bem sabe…
A escolha, como sempre, é apenas sua!
Edilson Menezes é treinador comportamental e consultor literário. Atua nas áreas de vendas, motivação, liderança e coesão de equipes. ([email protected])