O desafio da retenção

0
0
Pesquisa realizada pela Superdigital, conta digital do grupo Santander, com mais 1040 atendentes de call centers de diversas regiões do País, apontou que mais da metade dos respondentes (54,8%) não pretende mudar de ramo de atividade nos próximos três anos e quer conquistar um cargo de liderança dentro da empresa. O restante (45,2%) respondeu que quer parar de trabalhar com atendimento ao cliente e crescer em outra empresa fora do setor de call centers.
A pesquisa, realizada entre os dias 28 de maio e 7 de junho, também perguntou aos atendentes o que faria com que eles trocassem de emprego. O salário é o fator mais relevante (40%), seguido da possibilidade de subir de cargo (27%), melhores benefícios (13,9%) e flexibilidade de horário (9,4%). Contudo, o estudo da Superdigital indicou que um plano de carreira é fundamental para reter talentos no setor de call center. Quando perguntados o que eles consideram mais importante ao escolher um emprego, quase metade dos participantes (48,2%) apontou a possibilidade de ter plano de carreira, mais do que o dobro daqueles que disseram que o mais importante é o salário (21,2%). Ambiente agradável entre colaboradores e chefes (19,6%) e benefícios atraentes (8,6%) também figuraram entre as respostas.
O levantamento também mostrou que 63,9% dos atendentes não estão cursando curso universitário ou técnico atualmente. Sendo que 24,3% estão cursando universidade e 11,7% estão em um curso técnico.