Operação via PABX ganha nova solução

0
3

De olho num mercado em plena ascensão, a Cyclades – empresa especializada no desenvolvimento de soluções de gerenciamento inteligente de redes e data centers -, oferece a nova solução Cyclades-TS100, que garante segurança e confiabilidade para as companhias que buscam a correta divisão das despesas telefônicas entre diferentes setores e seus funcionários.

“Os benefícios de nossa solução são enormes”, garante Paulo Marshall, diretor de vendas corporativas da Cyclades. Segundo estimativas internas da empresa, a demanda por esta solução tem apresentado crescimento de 100% em relação a 2003. “Pretendemos ampliar nossa presença no segmento de bilhetagem e conquistar ainda este ano muitas outras empresas de médio e grande porte”, afirma, destacando que a Cyclades já conta com clientes de peso nessa área como Unibanco e HSBC. “Com a solução, as companhias poderão não só efetuar a correta divisão das despesas telefônicas entre os vários setores da empresa, como também aferir a cobrança dos serviços de voz prestados pelas operadoras”, explica o diretor.

A solução Cyclades destaca-se por basear-se em um servidor Cyclades-TS100, um dos menores servidores Linux no mundo, com uma porta serial e uma porta Fast Ethernet. Este servidor executa um aplicativo específico capaz de armazenar, em arquivo texto, todos os registros de chamadas feitas pelo PABX. Este arquivo é periodicamente transferido, através da porta de rede, para um servidor remoto, que processa a aplicação que consolida os arquivos coletados, verificando quem fez as ligações, o tempo de duração, e o custo de cada chamada. “A partir daí, basta distribuir os custos com as ligações entre os devidos centros de custos da empresa”, diz o executivo.

O Cyclades-TS100 é uma solução de alta confiabilidade, que utiliza hardware simples e dedicado. O acesso e transferência de dados são feitos de forma segura utilizando-se criptografia. Exige pouco investimento e baixo custo com manutenção. O sistema da Cyclades é mais robusto que as tradicionais soluções disponíveis no mercado e baseadas em micros PC. “É mais confiável do que as soluções em PC, por não utilizar partes mecânicas como discos rígidos e não incorrer nos elevados custos de manutenção associados a falhas e constantes atualizações (patches) de sistema operacional”, afirma Marshall.